blended learning em sala de aula

Blended learning: tudo o que você precisa saber!

As metodologias ativas de ensino e aprendizagem, como ensino por pares, sala de aula invertida e procedimentos baseados em gamificação são estratégias inovadoras e revolucionárias que vêm influenciando o ensino.

Conhecido como modalidade de aprendizagem híbrida, o blended learning pode ser definido como uma metodologia de ensino que une aspectos on e off-line para obter o melhor resultado possível entre os alunos.

Para isso, ele utiliza diferentes e criativos métodos de ensinamento como debates, palestras, jogos, estudos de caso, prática orientada, simulações e outros. Apesar de o termo ainda ser pouco conhecido no Brasil, ele vem se popularizando a cada dia graças aos constantes avanços tecnológicos e a necessidade de acompanhar essas tendências.

Se você quer saber mais sobre o blended learning, seu funcionamento, aplicações e benefícios, então, este conteúdo foi feito para você. Continue a leitura e confira mais sobre essa importante e inovadora metodologia.

O que é o blended learning?

Quando o assunto é a modernização dos estudos e as novas técnicas de aprendizagem, grande parte das instituições de ensino costuma se posicionar de maneira bem extrema: ou mantém as tradicionais apostilas e o ensino presencial ou migram de vez para o EAD — modalidade de ensino a distância.

No entanto, há um caminho que consegue combinar os dois processos e flexibilizar o modo como ocorre o ensino-aprendizado: o blended learning (ou b-learning). Por meio da combinação das duas práticas pedagógicas, a metodologia busca aperfeiçoar o desempenho dos estudantes em ambas as modalidades.

O blended learning é resultado dos avanços tecnológicos e da inovação na educação, enquanto a sua popularização nos últimos anos se deve, principalmente, à humanização da relação entre aluno, professor e instituição — condição proporcionada pela combinação dos aspectos on e off-line.

Nesse contexto, os centros de ensino que aplicam esse sistema em seus cursos, disponibilizam um formato de aulas que concilia os encontros presenciais no espaço físico da instituição e as atividades realizadas em ambientes virtuais de aprendizagem. Ou seja, os alunos visualizam os materiais na plataforma EAD e discutem os conteúdos presencialmente.

Além disso, como o blended learning abre um espaço dinâmico para o pensamento crítico, os estudantes têm a oportunidade de compreender os assuntos de maneira mais aprofundada e, ainda, levar questões e curiosidades para os encontros presenciais.

O ensino híbrido promete unir o melhor dos dois universos com o propósito de conferir melhores condições de aprendizagem aos alunos, afinal, a metodologia integra perfeitamente o uso das tecnologias com o formato tradicional.

Outro ponto relevante é que o sistema pode ser estruturado com práticas síncronas ou assíncronas, isto é, em situações em que o professor e os alunos trabalham juntos em um horário pré-definido ou em períodos flexíveis. Porém, o b-learning não é totalmente assíncrono, já que ele exige uma disponibilidade individualizada para os encontros presenciais.

Embora algumas pessoas não atribuam um valor pedagógico a essas atividades em conjunto, a essência da metodologia é bastante clara: ela utiliza a tecnologia em seus procedimentos não apenas para somar, mas sim para conferir qualidade, aperfeiçoar e transformar o processo de aprendizagem.

Metodologias ativas

Qual o significado de aprendizagem síncrona e assíncrona?

Ao falar sobre o blended learning é praticamente impossível não mencionar a aprendizagem síncrona e assíncrona. Para quem não conhece o significado dos termos, calma que nós já vamos explicar.

A aprendizagem síncrona refere-se a todo conteúdo que depende da presença física do aluno e do professor em um mesmo ambiente ou da sincronia nos acessos. Isso significa que todos os participantes devem estar conectados ao mesmo tempo para que essa proposta de aprendizado realmente funcione — seja aula, chat, transmissão ao vivo, entre outros.

A principal vantagem deste modo é que como os estudantes estão atuando de maneira coletiva, eles podem dar início a uma discussão em grupo, gerando, assim, uma importante troca de conhecimentos e informações em tempo real.

Independentemente de o debate ser realizado em um ambiente virtual ou presencial, esse método envolve a presença de um mentor ou instrutor disponível junto às equipes. Por isso, ele é bastante adotado em situações que exigem solução de problemas, trabalho em grupo, interação face a face e comentários de um especialista sobre determinado assunto.

Já o modo assíncrono não exige essa simultaneidade entre os acessos — embora os materiais também sejam disponibilizados em um ambiente virtual. A diferença é que o estudante pode acessá-los em seu próprio tempo e velocidade, sem a necessidade de que o professor também esteja conectado no mesmo momento.

Além da flexibilidade que o aluno dispõe de estudar quando e onde quiser, o modo confere um tempo maior para que os estudantes analisem o conteúdo recebido. Dessa forma, eles não se sentem pressionados a formular questões quando não estão, digamos, muito inspirados.

O método assíncrono é considerado ainda mais eficaz quando a prática é a chave do aprendizado dos conteúdos, quando os materiais precisam ser atualizados constantemente ou no caso de os participantes estarem distantes geograficamente.

Qual a diferença entre blended learning e educação a distância (EAD)?

Ainda que algumas pessoas confundam o sistema b-learning com a modalidade de ensino a distância, é preciso ressaltar que não se trata da mesma coisa. Nesse contexto, a principal diferença entre os métodos está na frequência e objetivo dos encontros.

Isso porque o ensino híbrido não é baseado apenas no compartilhamento de vídeos de maneira on-line ou na realização de um bate-papo virtual, ou seja, o simples uso desse tipo de tecnologia no processo de aprendizagem não define essa metodologia.

Nos cursos EAD todo o processo de aprendizagem é realizado em ambiente virtual como aulas, atividades, fórum de dúvidas, suporte, exames etc., enquanto os encontros presenciais acontecem, eventualmente, apenas para a aplicação das avaliações finais. No entanto, para uma prática eficiente e adequada, é fundamental investir em uma boa gestão em EAD.

Por outro lado, nas instituições de ensino que utilizam o sistema blended learning, as reuniões presenciais são mais frequentes — em média, em um final de semana por mês. Dessa forma, a metodologia é excelente para os profissionais que dispõem de uma agenda muito apertada durante os dias da semana.

Nos encontros físicos, as aulas são marcadas por dinâmicas de exercícios, práticas e atividades que visam humanizar a relação entre professor e aluno. Consequentemente, esse expediente amplia e desenvolve o processo de aprendizagem.

Por que o blended learning tem se popularizado tanto?

Popular desde a época dos cursos por correspondência, a modalidade de ensino a distância (EAD) começou a fazer ainda mais sucesso com os constantes avanços tecnológicos visualizados ao longo dos anos.

No entanto, como o sistema não envolve encontros presenciais, os alunos precisam apresentar algumas características importantes como disposição, autonomia, organização e, principalmente, disciplina para manter o foco no curso e não desistir da graduação.

Já o ensino presencial também apresenta seus obstáculos e dificuldades, entre elas, a logística e a falta de tempo para estudar — afinal, a maioria das pessoas está cada vez mais ocupada ou com tarefas acumuladas para fazer.

Sendo assim, essa metodologia também exige alguns atributos dos estudantes como a facilidade de deslocamento, disponibilidade de tempo e maior recurso financeiro, pois os cursos presenciais costumam apresentar mensalidades mais caras que os cursos a distância devido ao custo aluno mais alto.

Em contrapartida, o blended learning consegue reunir os melhores aspectos de ambas as modalidades: a praticidade e a facilidade de acesso aos conteúdos do EAD e a possibilidade de trocas de experiências e o contato mais próximo entre alunos e professores do ensino presencial.

É importante ressaltar que o ensino híbrido não se propõe a substituir a sala de aula tradicional, mas sim a utilizar a tecnologia para transformar, inovar e aperfeiçoar as técnicas de aprendizagem.

Portanto, ao driblar as principais dificuldades das metodologias, combinar suas características e oferecer o melhor de cada uma delas, o b-learning tem conquistado cada vez mais adeptos e entusiastas pelo mundo todo.

como aplicar metodologias ativas

Como o blended learning acontece na prática?

É fato que nem todos os alunos aprendem da mesma maneira — enquanto alguns são mais visuais e auditivos, outros se apresentam muito mais práticos, isto é, precisam interagir com a disciplina para assimilar seu conteúdo.

Assim, o blended learning se destaca justamente por transformar um método de didática retórica e com uma via única transmissão (aluno-professor) em um modo realmente interativo. Na prática, essa solução de aprendizagem combinada se apresenta como uma alternativa eficaz para grupos de estudantes com diferentes níveis de habilidade e capacidade.

Em um cenário cada vez mais dinâmico e competitivo, as instituições de ensino devem atingir um alto desempenho e aplicar a tecnologia para avançar na educação, da mesma forma que já ocorre no ambiente corporativo.

O b-learning trouxe uma nova perspectiva aos métodos de aprendizado, afinal, ela pode ser digital, individualizada, adaptativa, combinada ou personalizada. Porém, como garantir essa experiência associada?

Na maioria das vezes, os cursos baseados no ensino híbrido seguem dois caminhos: ou adotam mais práticas da metodologia a distância ou utilizam mais recursos do método tradicional.

Foco presencial

Essa modalidade tem como principal preocupação o envolvimento e a interação dos estudantes uns com os outros e com os respectivos professores. Nesse tipo de enfoque, os conteúdos costumam ser liberados antecipadamente em uma plataforma virtual em que os participantes se encontram para discuti-los em grupo.

Além disso, no b-learning com foco presencial, apesar de a maioria das atividades e trabalhos ser desenvolvida em sala de aula, suas entregas são realizadas de maneira on-line.

Foco a distância

Já no segundo modo, as plataformas on-line funcionam não apenas como o endereço onde são recebidos os trabalhos e disponibilizados os materiais, mas sim, como um importante local de trocas de informações, dicas de conteúdos e fóruns de discussão.

No b-learning com foco a distância, também é comum que os alunos façam todas as pesquisas, tarefas e exercícios em casa e utilizem os encontros presenciais apenas para as apresentações de trabalho ou avaliações.

E, falando nisso, as avaliações das aprendizagens podem variar de acordo com a abordagem do curso em blended learning que o estudante escolher. Apesar disso, ela pode combinar os dois modos, sendo: provas on-line ou presenciais, apresentação de trabalho, atribuição de nota por participação em discussões, entre outros.

Quais as vantagens do blended learning?

O ensino híbrido pode trazer mudanças transformadoras para as organizações, empresas e instituições de ensino. Devido à facilidade de acesso, flexibilidade de horários, constante atualização dos conteúdos e personalização dos recursos transmitidos, o b-learning apresenta inúmeros benefícios aos participantes. Entre eles, podemos destacar.

Promove a autonomia do aluno

Como o ritmo de aprendizagem pode ser definido pelos próprios usuários, os alunos contam com muito mais autonomia para gerenciar seus aprendizados e cumprir seus compromissos, garantindo que suas metas sejam alcançadas e os prazos cumpridos.

Além disso, os estudantes têm a oportunidade de explorar as ferramentas que mais os auxiliam — estejam elas no ambiente virtual ou nos encontros presenciais. Assim, o aprendizado de cada um pode ser moldado de maneira individual.

Otimiza o processo de aprendizagem

A modalidade b-learning otimiza o processo de aprendizagem e a conquista de melhores resultados dentro dos prazos preestabelecidos, porém, com recursos mais diversificados e uma colaboração muito mais intensa entre os próprios alunos.

Outro benefício do sistema é que ele favorece a realização de trabalhos de campo, visitas técnicas e demais atividades presenciais a locais de interesse, promovendo uma maior integração entre os participantes e resultando em incríveis e importantes trocas de experiências.

Melhora a relação entre professor e aluno

Como o ensino híbrido oferece a possibilidade de interação presencial e remota entre os participantes, a relação entre professores e alunos e entre os próprios estudantes é bastante enriquecida.

Além de humanizar os relacionamentos, o b-learning oferece mais possibilidades de desenvolvimento de dinâmicas e atividades coletivas e uma melhor capacidade de avaliação dos alunos.

indicadores de desempenho educacional

Se ajusta às necessidades de cada um

Uma das principais características do blended learning é o respeito à disponibilidade do aluno. Nesse contexto, os encontros presenciais podem ser negociados de maneira a atender as urgências e necessidades de cada participante do curso.

Além disso, as matrizes curriculares podem ser organizadas de acordo com os objetivos e áreas de interesse de cada um.

Apresenta redução de custos

Quando comparados com cursos e treinamentos totalmente presenciais, esse sistema apresenta uma perceptível redução de custos, afinal, a metodologia demanda menos espaços físicos e professores em tempo integral nas salas de aula.

Aprimora a resolução de dúvidas

Uma das principais dificuldades dos estudantes do ensino a distância é a dificuldade na comunicação com o seu professor e/ou instrutor e na delonga no processo de resolução de dúvidas.

Já com o b-learning os participantes terão sempre um encontro presencial marcado para troca de informações, resolução de problemas e esclarecimento de dúvidas.

Onde o blended learning pode ser aplicado?

É importante ressaltar que embora esse conceito seja amplamente difundido no campo educacional, o termo também tem sido aplicado no universo corporativo. Essa é uma solução interessante para as empresas com um grande número de colaboradores ou com funcionários dispersos em diferentes cidades, mas que não querem abrir mão das reuniões presenciais.

Nesse contexto, o blended learning pode ser utilizado tanto em ações contínuas de desenvolvimento organizacional quanto em especializações e treinamentos corporativos mais pontuais.

Um problema comum entre as empresas é a dificuldade de conciliar a agenda dos colaboradores com seus programas de capacitação. Além de auxiliar na efetivação das práticas, o b-learning ainda promove importantes momentos de socialização coletiva de aprendizado ao promover e mesclar as experiências on-line com o ensino presencial.

Até porque muitos treinamentos funcionam melhor por meio de uma interação física com uma determinada ferramenta. Dessa forma, o recurso pode apresentar uma eficácia muito maior no propósito de alcançar mais participantes e, também, para aplicar diversos tipos de capacitação.

Ao permitir que os colaboradores definam os melhores horários para as práticas, as empresas permitem que eles aproveitem melhor seu tempo, otimizem seu aprendizado e consigam assimilar mais os conteúdos oferecidos.

Desse modo, além de verificar uma maior produtividade, dedicação e interesse dos funcionários, as organizações ainda conseguem reduzir seus custos com deslocamentos, contratação de instrutores, aluguel de espaços físicos etc. Como resultado, o treinamento se torna muito mais eficiente, rentável e benéfico para ambos os lados.

Qual a relação entre o e-learning e b-learning?

Também conhecida como aprendizagem eletrônica, o e-learning é uma modalidade de ensino a distância que utiliza recursos como computador e Internet como principais ferramentas de aprendizado.

Além disso, no caso de contato entre professor e aluno, a comunicação também é realizada por meio dos canais digitais. Assim, o e-learning pode ser definido como uma forma de utilizar a tecnologia em rede para criar, selecionar, administrar, distribuir e aprofundar a aprendizagem.

No entanto, com os constantes avanços tecnológicos, o próprio conceito de e-learning tem apresentado variações e transformações — nesse caso, as mudanças podem ser visualizadas tanto no aspecto eletrônico e tecnológico, quanto na questão da interatividade e comunicação.

Apesar de a modalidade ser comumente associada ao EAD, é importante ressaltar que as metodologias não são idênticas. Isso porque além de ser mais vasto que o e-learning, o ensino a distância evoluiu de acordo com as tecnologias disponíveis.

Além do mais, como a aprendizagem eletrônica valoriza a comunicação e a interatividade, ela pode ser considerada um modelo interativo de EAD.

Por outro lado, o sistema que inclui aulas presenciais na modalidade e-learning é o que chamamos de b-learning. Tal como a categoria a distância, o regime misto exige a presença de recursos e conteúdos elaborados e adaptados especialmente para esse tipo de ensino.

Ok, mas qual a relação entre o e-learning e o b-learning? De maneira geral, o e-learning é uma metodologia de aprendizagem focada em aulas, atividades e exercícios disponibilizados apenas de maneira on-line, enquanto o b-learning apresenta uma combinação de conteúdos e tarefas on e off-line para obter o melhor resultado entre os estudantes. Portanto, o b-learning, é um derivado do e-learning.

Nesse contexto, além de ser um sistema aberto, dinâmico e completo, o ensino híbrido constitui uma equilibrada e eficiente mistura de recursos, técnicas e abordagens pedagógicas. Por isso, o b-learning tem sido cada vez mais utilizado pelas melhores instituições de ensino do país.

Como a tecnologia tem transformado o ensino superior?

Como já deu para perceber, a forma de aprendizado tem sofrido inúmeras modificações ao longo dos anos. Nesse caso, o uso da Internet e o avanço da tecnologia na educação podem ser considerados os principais responsáveis por transformar o ensino superior.

Além das ferramentas mais tradicionais como e-mails e mídias sociais, recursos inovadores como jogos digitais, salas de aulas invertidas e plataformas de compartilhamento de documentos têm sido bastante empregados nos processos de aprendizagem atuais — afinal, vivemos na era da informação.

Já quando se trata de educação a distância, a modalidade tem rompido todas as barreiras físicas e virtuais. Isso porque a metodologia permite alcançar os lugares mais distantes e transformar a vida de milhares de pessoas que, provavelmente, não teriam acesso a um formato regular de educação.

Outro aspecto que tem contribuído para o aumento da busca de alunos por cursos híbridos (parte presencial e outra a distância) é o fato de que o MEC publicou uma nova portaria no final de 2018 permitindo que as instituições de ensino tenham até 40% de aulas on-line em seus cursos presenciais, estimulando, assim, a expansão dessa modalidade de ensino.

Além disso, devido aos ambientes virtuais ou aos sistemas de gestão on-line, tanto os estudantes quanto as instituições de ensino têm sido beneficiados em aspectos como redução de custos, acompanhamento em tempo real do desempenho dos participantes e ampliação em debates e dinâmicas em grupo.

Dessa forma, além de agilizar os processos, estreitar relacionamentos e promover a autonomia dos alunos, a tecnologia tem sido responsável por modificar a vida e realizar os sonhos de pessoas pelo Brasil (e mundo) todo.

Como você pôde ver, as novas tecnologias em educação têm facilitado o acesso aos conteúdos e garantido que o conhecimento esteja ao alcance de todos. Nesse caso, o blended learning é um dos principais exemplos dessa revolução.

Isso porque além de combinar técnicas do EAD com a modalidade presencial, essa inovadora metodologia tem contemplado inúmeros usuários com dificuldades e facilidades em ambos os formatos, ou seja, o b-learning apresenta o melhor dos dois cenários.

Bastante utilizado em instituições de ensino superior e ambientes corporativos, o recurso híbrido veio mesmo para ficar. Apesar de todos os obstáculos que os alunos encontram nas modalidades presenciais e a distância, o blended learning tem se apresentado como o caminho ideal para driblar as dificuldades dessas modalidades e possibilitar o melhor dos dois mundos.

E aí, gostou de saber mais sobre a metodologia de ensino blended learning? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro de novos conteúdos relevantes e exclusivos como este!

Mapa da Metodologia Ativa

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.