sala de aula invertida

Como aplicar a sala de aula invertida? Descubra aqui!

Um dos principais desafios de uma instituição de ensino é ter estudantes engajados. Por isso, é comum que muitas delas procurem adotar diferentes abordagens pedagógicas. Nesse sentido, uma das vertentes mais dinâmicas e eficazes para conquistar o engajamento dos alunos é a sala de aula invertida.

Ela se baseia em repassar parte da responsabilidade do aprendizado para o aluno, que recebe materiais para estudar em casa. A sala de aula, nesse caso, serve para discutir os assuntos estudados e para desenvolver projetos e trabalhos. Isso dá autonomia ao aluno e faz com que ele tenha mais proximidade com os conteúdos abordados.

A sala de aula invertida tem como objetivo formar indivíduos mais investigativos, com pensamento crítico e atitudes proativas para o mercado de trabalho. Neste post nós apresentaremos alguns detalhes bem interessantes sobre o tema. Confira!

Como funciona a sala de aula invertida?

A sala de aula invertida consiste em disponibilizar material para que o aluno estude em casa e vá até a IES para fazer trabalhos e ter mais aprofundamento no tema.

Essa é uma experiência educacional colocada em prática no ensino superior por Jonathan Bergman e Aaron Sams. O objetivo é promover uma educação mais rica, unindo o estudo prévio e a imersão no assunto no ambiente universitário.

Na sala de aula invertida o professor mantém seu papel fundamental na preparação do material de estudo de acordo com a grade do curso. Ou seja, o aluno não fica com a responsabilidade total de pesquisar sozinho o tema abordado nas aulas.

Esse material aborda os temas de forma completa — ou seja, a sala invertida ainda é diferente da Educação a Distância. São introduções para que o aluno chegue informado à sala de aula e saiba debater sobre os tópicos presencialmente.

Qual é a importância desse conceito?

É comum que os alunos respondam em pesquisas de avaliação institucional que o método de ensino tradicional é monótono. Ou seja, a grande maioria dos estudantes não se sentem estimulados — visto que os profissionais nem sempre conseguem compartilhar de forma clara o objetivo da metodologia.

Portanto, um ambiente educacional que utiliza diversas ferramentas para incentivar o aluno a estudar o conteúdo em casa aliado à explicação do “por que” é mais enriquecedor estudar dessa forma, promove o engajamento dos alunos. Afinal, os estudantes estarão mais preparados para tirar dúvidas e para aprofundar-se no tema com o professor e o restante da turma.

O que é preciso para adotar essa metodologia?

gestão do quadro de professores é o primeiro passo para iniciar a metodologia de ensino da sala invertida. O seu papel como agente facilitador de todo o processo é fundamental para o sucesso da sala de aula invertida. Afinal, os alunos precisam ser incentivados para assimilar as informações passadas em um novo formato de ensino.

Outro passo importante é esclarecer a necessidade da presença do aluno em sala na próxima aula para o aprofundamento no conteúdo e para a realização de trabalhos. Por ser uma novidade para todos, o professor precisará agregar algumas novas atividades em sua rotina — como verificar a quantidade e a complexidade do conteúdo.

É natural que os alunos tenham dificuldades devido à sobrecarga de conteúdos em diferentes ferramentas. Por isso, é preciso cuidado para que não dê a impressão de que eles estão abandonados e estudando apenas por conta própria.

Assim, utilizar um ambiente virtual de aprendizagem colaborativo é uma forma de auxiliá-lo a manter o foco — diminuindo distrações e fixando mais adequadamente os planos de ensino.

Que tipos de materiais podem ser usados?

O professor precisa planejar todo o material e garantir o acesso às ferramentas necessárias para evitar furos na transmissão do conhecimento. Assim, saber como usar a tecnologia a seu favor é uma das ideias mais marcantes dessa metodologia.

Veja agora algumas dicas de materiais que podem ser utilizados para instigar o aluno a ser um sujeito ativo no seu aprendizado:

  • vídeos de canais educativos do YouTube sobre o conteúdo a ser abordado;
  • conferências via vídeo com alunos (atenção: ferramentas como o Skype comportam até 25 pessoas por reunião);
  • filmes para serem vistos em casa ou em sala de aula;
  • artigos em PDF;
  • questionário simples aplicado no final do conteúdo com o objetivo de avaliar o aprendizado da turma (debata em sala as questões);
  • sites e blogs com conteúdo errôneo ou incompleto. Incentive a pesquisa e o desenvolvimento de tópicos para a melhoria do que está escrito e trabalhe com provas, trabalhos e debates em sala;
  • grave suas aulas para que elas possam ser vistas por outras turmas e usadas como base de um conteúdo a ser aprofundado.

Quais são as vantagens em usar a sala de aula invertida?

Materiais de fácil acesso

Uma das maiores facilidades que existem por trás desse método de ensino é exatamente o acesso ao material por parte da IES e do aluno. O aluno já está familiarizado com a tecnologia, visto que a maioria cresceu usando, pelo menos, o computador para estudos em meios digitais.

Além disso, caso o aluno não tenha possibilidade de acessar o seu material de estudo digital no trabalho ou em casa, ele poderá contar com o laboratório de informática da IES. Por isso, é importante que também exista, na instituição, exista uma gestão da ocupação do laboratório por parte das turmas.

Resultados melhores

Os resultados apresentados com a sala de aula invertida são: alunos mais participativos, instigados, pesquisadores, criativos, responsáveis e seguros. A sala de aula deixa de ser um ambiente considerado desgastante e passa a ser um lugar agradável e tranquilo para o estudante.

Inovação

Usar a metodologia de sala de aula invertida é uma quebra de paradigma. Por isso, é preciso que as IES tomem iniciativa para influenciar na melhoria dos métodos, da estrutura e da qualidade do aprendizado.

Nos países mais desenvolvidos — como Canadá, Finlândia e Holanda — a sala de aula invertida já é usada há um bom tempo e aprovada como modelo de ensino. Instituições de renome mundial como Harvard e Stanford também usam o método e comprovam sua eficácia.

Portanto, essa mudança do ensino no Brasil já é uma realidade. Assim, o desafio atual é entender a melhor forma de implantação da sala de aula invertida e customizar ambientes virtuais de aprendizagem para possibilitar um ensino personalizado para cada aluno.

E então? O que achou das informações que trouxemos para você sobre a sala de aula invertida? Se deseja inserir o mundo virtual no seu projeto pedagógico, siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar de perto todas as nossas publicações sobre esse tema! Estamos no Facebook, no Twitter, no Google+, no YouTube e no LinkedIn.

Post criado 90

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo