Motivação dos professores: 6 boas práticas para sua instituição de ensino

Atualizado em

Buscar os melhores profissionais do mercado e atrair professores que se alinhem às diretrizes da sua instituição é importante, mas não é o fim da jornada. É preciso trabalhar na motivação dos docentes e estimular o aumento de produtividade, mas sem sobrecarregá-los.

Embora esse profissional atue dentro de uma sala, o que ocorre fora dela também impacta a condução das aulas. Preparamos um post especial para que você conheça as dicas mais valiosas para manter os professores engajados. Acompanhe conosco!

1. Invista na infraestrutura da instituição de ensino

É dever do gestor conferir todas as condições necessárias para que o professor possa se concentrar no que faz melhor: ensinar. Para isso, é fundamental disponibilizar ferramentas adequadas e uma estrutura física de alto nível.

Desse modo, problemas relacionados à infraestrutura da escola, como projetores de slides com problemas ou quadros brancos já bastante desgastados, podem tirar a concentração necessária para que o professor lecione da melhor forma possível.

Além disso, essas falhas na infraestrutura acabam atingindo o próprio aprendizado dos alunos, que também passam a ter a atenção desviada para outros assuntos. Tudo isso influencia negativamente a prática docente.

Para combater esses problemas, o ideal é adotar rotinas de conservação dos ambientes onde ocorrem as aulas. Além disso, é importante garantir que reparos e manutenções ocorram fora do horário de aula — pense em quão desmotivador seria lecionar com um barulho insistente de furadeiras no local, por exemplo.

2. Busque o diálogo contínuo com os professores

Comunicar-se de forma clara e transparente com os docentes é uma prática essencial para garantir um ambiente de trabalho saudável e amistoso. O ideal é que eles trabalhem em uma atmosfera agradável e acolhedora.

Desse modo, eles se sentirão estimulados a encarar os desafios diários da docência. É importante, também, estabelecer regras que valham para todos eles, mantendo a imparcialidade nos relacionamentos. Profissionais favorecidos acabam gerando um mal-estar nos corredores, o que pode comprometer a retenção de bons professores.

Além disso, tratar todos com respeito é uma forma de garantir que as reuniões pedagógicas ocorram de forma tranquila. Isso porque colegas de trabalho que se sentem valorizados pelas instituições tendem a colaborar de forma produtiva, sem qualquer tipo de sabotagem dentro do corpo docente.

Forneça feedbacks construtivos aos profissionais, principalmente em relação ao desempenho desses educadores. É importante destacar os pontos positivos, mas especificar o que deve ser melhorado — dentro do padrão de excelência e diretrizes da instituição.

Assim, esclareça aos profissionais as metas a serem cumpridas e os prazos estabelecidos para que os resultados sejam obtidos. O setor de Recursos Humanos também pode oferecer dinâmicas motivacionais com o objetivo de integrar os professores.

Além disso, eventos destinados ao compartilhamento de experiências, desafios e motivações pessoais ajudam a reforçar a identidade e a cultura organizacional da instituição. Quando os profissionais se sentem ouvidos, eles assimilam os valores daquela organização com mais naturalidade.

3. Forneça um planejamento pedagógico de qualidade

Além de prover toda a infraestrutura para que os profissionais se concentrem exclusivamente em preparar as melhores aulas possíveis, é papel da instituição buscar entender as necessidades dentro da sala de aula.

Isso tem a ver, principalmente, com os estudantes. A instituição de ensino deve mapear as carências intelectuais, culturais e físicas dos alunos para conseguir desenvolver um planejamento pedagógico apurado. Desse modo, o professor terá melhores condições para embasar o seu trabalho, respeitando as singularidades de cada aluno.

guia da gestão educacional

4. Desenvolva um plano de carreira atraente para os profissionais

Muitas pessoas, ainda na graduação, se interessam por ensinar e fomentar o conhecimento em nosso país. Contudo, muitos deles acabam desistindo ao constatar as más condições que grande parte dos professores enfrenta.

Mesmo aqueles que seguem a carreira, realizando o sonho de lecionar, muitas vezes procuram outras escolas para complementar a renda. Isso faz com que esses profissionais tenham rotinas bastante atarefadas e desgastantes, principalmente pelo acúmulo de aulas a serem preparadas.

Dessa forma, é fundamental oferecer um plano de carreira que motive o professor a priorizar a sua escola. Para que o corpo docente se sinta motivado a contribuir e transformar a sua instituição de ensino em referência, os gestores devem montar um cronograma detalhado de cargos e remunerações.

Entretanto, é importante que essa ação seja transmitida aos profissionais de forma transparente. Só assim eles terão certeza de que a instituição efetivamente zela pelos profissionais e tem interesse na valorização dos seus colaboradores.

Além disso, conversar com os profissionais sobre um plano de carreira atraente, expondo as metas que devem ser atingidas, faz com que o professor saiba exatamente o que tem que fazer para melhorar o seu desempenho e ascender dentro da instituição.

5. Ofereça formação contínua para os professores

O trabalho do professor mudou muito ao longo das últimas décadas. Afinal, o avanço da tecnologia facilitou o acesso à informação e, por isso, os alunos estão cada vez mais informados — e trazem dados para as aulas que nem mesmo os educadores conhecem.

Desse modo, é fundamental que o profissional esteja sempre atualizado e preparado para lidar com os desafios dessa era digital. Além de facilitar a transmissão do conhecimento, a internet também gera novas informações a cada segundo. Por melhor que seja o currículo do educador, ele deve estar sempre aprendendo.

Cabe à instituição de ensino incentivar a formação contínua dos professores. Isso pode ser feito por meio de cursos, palestras presenciais e eventos diversos, dentro ou fora do ambiente de trabalho. Outra possibilidade interessante é buscar parcerias com outras instituições, apostando no intercâmbio de ideias.

Além disso, é possível buscar a ajuda de profissionais especializados, de fora da instituição, para realizar avaliações dos professores. Desse modo, os membros do corpo docente poderão ter acesso e descobrirem quais áreas específicas devem ser trabalhadas para enriquecer seus currículos. Esse tipo de trabalho também serve para reforçar os pontos positivos e motivar os educadores.

6. Invista em tecnologia

Como mencionamos, a era da tecnologia transformou todo o ofício do professor. Assim, é indispensável fornecer todo o suporte tecnológico necessário, tais como bons computadores, ambientes virtuais de aprendizagem, projetores e recursos audiovisuais diversos.

Esses recursos fazem com que a aula se torne mais dinâmica e menos engessada. O professor pode alternar entre explicações orais e exemplificar o conteúdo com vídeos, por exemplo, fazendo com que os alunos se engajem mais.

Além disso, tecnologias como acervo acadêmico digital facilitam o trabalho dos educadores ao fornecer dados importantes como o diário de classe e o registro de notas e faltas. Soluções virtuais desse tipo impactam positivamente a motivação dos professores como um todo.

Como pudemos ver no post, esse tipo de solução pode ser complementado com ações como a busca de um diálogo franco com os educadores, oferecimento de formação contínua e o desenvolvimento de atrativos planos de carreira.

Gostou do post e quer saber mais sobre softwares aplicados ao gerenciamento educacional? Então, aproveite a visita e leia o nosso post sobre o funcionamento de sistema de gestão educacional!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Parceiros