Conheça os principais desafios da gestão educacional

Atualizado em

Por muito tempo, perdurou nas escolas e instituições de ensino superior um modelo educacional pautado pela transmissão da informação em que professor era a figura central do processo de ensino-aprendizagem.

No entanto, com o desenvolvimento de novas práticas pedagógicas, o avanço das tecnologias, a globalização e a chegada da transformação digital, essa concepção de ensino tornou-se obsoleta e as instituições precisaram se reinventar a fim de acompanhar os novos paradigmas e demandas da sociedade contemporânea.

Pensando nisso, criamos este artigo para elucidar quais são os desafios da gestão educacional diante das complexidades do cenário atual e oferecer insights para um gerenciamento arrojado, que consiga abraçar tanto os ideais educativos quanto a competitividade necessária à sobrevivência no mercado. Boa leitura!

Quais mudanças impactaram o setor educacional nos últimos anos?

Com a chegada do século XXI e a ascensão da Era Digital, as relações humanas, o acesso à informação e as práticas de consumo modificaram-se significativamente. Tudo se tornou mais efêmero e volátil ― na mesma velocidade que uma mensagem ganha força, no momento seguinte é esquecida, dando lugar a algo novo.

Hoje, vivemos em uma sociedade hiperconectada que tem novas expectativas e informação na palma das mãos. Essa “sociedade em rede” é um produto da revolução digital e refletiu em importantes mudanças socioculturais que atingiram todos os setores, incluindo os serviços educacionais.

O poder disruptivo da transformação digital desafia as regras e os modelos de atuação preestabelecidos. Com isso, instituições que insistem em manter o modus operandi tradicional tenderão a desaparecer diante de quem se empenha em promover a inovação.

Tais mudanças impactam tanto os paradigmas educacionais e o projeto político-pedagógico quanto as próprias práticas de ensino. Já do ponto de vista administrativo, a implementação de novas práticas de trabalho vem sendo norteada por sistemas de gestão inteligentes a fim de facilitar processos que envolvem toda a comunidade escolar.

A inovação também se estende à visão de mercado, já que, para garantir sua competitividade, as instituições estão investindo em soluções modernas para o oferecimento de seus cursos, bem como em novos tipos de serviços para abarcar tais demandas.

O aluno não é mais o mesmo

A atual geração de alunos, tanto na educação básica quanto na graduação (e até na pós-graduação), não conhece o mundo sem a Internet. Chamada de Geração Z, ou pós-Millenials, nasceu durante um período de rápido crescimento digital.

Trata-se de uma geração altamente informada. Como afirma o The Independent, “Eles receberam muita atenção na mídia recentemente por suas fortes opiniões sobre política e assuntos atuais”.

Nesse sentido, as práticas educativas precisam acompanhar essas mudanças e expectativas não apenas dos alunos, mas também dos pais e responsáveis. Não é mais possível evitar a tecnologia e o aluno definitivamente precisa ser colocado no centro do processo de ensino-aprendizagem com o objetivo de ser construtor do próprio conhecimento.

Para tanto, a dinâmica da sala de aula também se altera de forma considerável a fim de comportar as metodologias ativas de aprendizagem e o professor torna-se um mediador na difusão do conhecimento. Por consequência, as formas de experimentar a prática educativa também se alteram e reorganizam o processo de avaliação.

Que desafios a gestão educacional precisa enfrentar hoje?

Confira, a seguir, os principais desafios da gestão educacional aos quais os gestores precisam estar atentos.

Descentralização da sala de aula

A introdução de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) como ferramentas de desenvolvimento do projeto pedagógico, uso de redes sociais, ambientes virtuais de aprendizagem, recursos audiovisuais etc. permitiu a descentralização do ensino.

Agora, as aulas podem acontecer em inúmeros espaços, a qualquer hora, e o aluno pode estudar de forma independente, no tempo em que for mais produtivo. Além disso, a Educação a Distância cresce a passos largos, já contando com mais de 7 milhões de alunos (incluindo cursos livres e superiores regulamentados), segundo o último censo da ABED (Associação Brasileira de Educação a Distância).

Por consequência, a gestão torna-se descentralizada e o gestor precisa aprender a coordenar todos esses cenários de forma democrática, delegando tarefas e propondo diferentes configurações de liderança institucional.

guia da gestão educacional

Gestão baseada em dados

De acordo com a gigante IBM, na economia contemporânea, o ativo mais importante de qualquer empresa são os dados que ela produz ― e isso inclui as instituições de ensino. Como toda interação com dispositivos digitais gera dados, o volume diário é enorme e pode revelar muitas informações relevantes sobre a realidade organizacional.

Por isso, outro desafio é transformar a gestão educacional por meio da inovação tecnológica não apenas com a implantação de sistemas arrojados, que integrem funções administrativas e pedagógicas, mas principalmente com a adoção de tomada de decisão estratégica, baseada nos dados gerados pelas máquinas.

Engajamento dos alunos

A invasão dos dispositivos digitais tem gerado tanta distração nos alunos que instituições de ensino criaram políticas sérias para o uso consciente de celulares, tablets e outros aparelhos em sala de aula.

Além da falta de atenção para os conteúdos, outro problema é a dificuldade de engajamento dos alunos com a própria escola. O questionamento “para que estou perdendo tempo com isso, se está na internet” tornou-se comum e merece atenção para o dinamismo das aulas.

Ainda, no caso do ensino superior, em que boa parte dos alunos ganha independência em suas decisões, as taxas de evasão escolar podem aumentar caso as instituições não acompanhem suas expectativas e insistam em utilizar as mesmas metodologias de anos a

Quais posturas são esperadas de um gestor educacional no mercado atual?

Como você pôde perceber, enfrentar os desafios da gestão educacional exige que as lideranças assumam novas posturas e sejam capazes de lidar de forma cada vez mais eficiente com um cenário tão complexo e abrangente. Veja algumas posturas esperadas para uma boa gestão na atualidade.

Gestão democrática

Assumir a participação coletiva no planejamento educacional é imprescindível para que o gestor mantenha um diálogo aberto com a comunidade escolar e consiga respostas acertadas para as principais demandas.

Ademais, essa descentralização da gestão também incentiva que os profissionais tenham maior autonomia no desenvolvimento de seu trabalho, o que promove um maior engajamento de todos os colaboradores.

Por fim, a tomada de decisão também tende a ganhar mais transparência com ações compartilhadas, fruto da construção horizontal das estratégias.

Valorização das relações humanas

Ao passo que a tecnologia passou a dominar os processos educacionais, surgiu a necessidade de ressignificar e valorizar as relações humanas, começando pela própria sala de aula. O ensino deixou de ser massivo e linear para receber uma abordagem mais personalizada, que leva em consideração as personalidades individuais e suas respectivas demandas.

Nesse sentido, a gestão educacional deve promover interações saudáveis entre toda a comunidade escolar, criar sistemas de comunicação eficazes e estabelecer estratégias para um convívio mútuo mais harmônico aproximativo.

Além disso, com relação às questões administrativas, o atendimento aos alunos, pais e responsáveis precisa fornecer respostas rápidas, claras e padronizadas a fim de que os níveis de satisfação permaneçam elevados. Para tanto, o uso de tecnologias como os chatbots de atendimento têm contribuído com essa tarefa.

Atenção às tendências educacionais

Com um cenário tão dinâmico, é preciso manter os olhos abertos para as tendências educacionais e serviços que estão ficando em evidência no mercado. Essa preocupação é importante para manter a instituição em elevado grau de competitividade e colocá-la no mesmo patamar que seus concorrentes.

Mais ainda, ao analisar os diferentes cenários e conhecer a fundo o contexto em que sua instituição está inserida, fica mais fácil compreender os desafios sistêmicos e tomar decisões estratégicas.

Evitar um olhar abrangente para o mercado e permanecer com processos altamente tradicionais e analógicos pode levar uma instituição de ensino a um quadro pouco favorável. Por isso, para vencer os desafios da gestão educacional e conseguir uma atuação mais estratégica, os pontos aqui ressaltados são fundamentais.

Se você deseja abraçar a inovação de vez com tecnologias que potencializem a sua instituição, entre em contato conosco e conheça nossas soluções.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.