inteligência artificial para reduzir a evasão

Como evitar a evasão escolar utilizando a inteligência artificial?

Atualizado em

Em tempos de concorrência acirrada, fidelizar alunos e controlar a evasão escolar tem sido um dos principais desafios e motivo de preocupação para as instituições de ensino.

No início do ciclo, na educação infantil e primeiros anos do ensino fundamental, a decisão sobre a permanência ou não dos filhos na instituição é tomada inteiramente pelos pais. Com a chegada da adolescência, os alunos começam a ter voz própria. Assim sendo, seu grau de engajamento e satisfação com a escola e a qualidade do ensino podem levar ao cancelamento da matrícula.

Já no ensino superior, vê-se um grupo heterogêneo, que conta tanto com a presença de jovens sustentados pela família quanto por alunos independentes financeiramente. Em ambos os casos, é deles que parte a iniciativa de permanecer ou não na instituição, ainda que a decisão final eventualmente recaia sobre algum provedor.

Mas você sabe quais motivos costumam elevar as taxas de evasão escolar?

Eles podem ser de diferentes ordens, como os exemplos a seguir:

  • fatores econômicos;
  • fatores acadêmicos;
  • problemas com prestação do serviço;
  • descontentamento com o atendimento pedagógico e administrativo;
  • problemas de relacionamento entre alunos e professores;
  • queixas a respeito das instalações;
  • distância da moradia.

Todavia, nem sempre é tão óbvio prever a existência desses cenários em sua instituição. Por isso, é preciso haver estratégias de gestão, de preferência apoiadas pela tecnologia. E uma dessas ferramentas para ajudar na retenção de alunos é a inteligência artificial. Você sabe como ela pode ajudá-lo?

É sobre isso que vamos falar neste post. Acompanhe as próximas linhas.

O que é inteligência artificial?

Apesar de estar em evidência com a era digital, a inteligência artificial não é algo novo. De maneira resumida, podemos dizer que esse ramo da ciência da computação procura elaborar dispositivos que “recriem o cérebro humano” e tenham a capacidade de raciocinar para resolver problemas, tomar decisões e oferecer respostas eficazes às perguntas feitas à máquina.

Os indícios iniciais dessa tecnologia surgiram nos anos 1940, com as pesquisas do primeiro computador; no entanto, os avanços tomaram fôlego a partir dos anos 1980. Com a disseminação da internet, houve um crescimento desenfreado até que a inteligência artificial tornou-se parte de nossas vidas em muitas situações no cotidiano, por exemplo:

  • nos aplicativos de celular;
  • no internet banking;
  • no GPS do trânsito;
  • nos jogos de computador;
  • em dispositivos de segurança;
  • no controle de ponto;
  • na aviação;
  • no monitoramento das estradas;
  • nas plataformas digitais;
  • nos algoritmos das mídias sociais;
  • ou quando damos um comando de voz para uma pesquisa no Google.

Como você vê, uma infinidade de dispositivos e máquinas em praticamente todas as áreas. E, por isso, a inteligência artificial está tomando conta dos inúmeros segmentos de mercado, incluindo as instituições de ensino. Neste caso, podendo ser utilizada tanto no âmbito pedagógico quanto administrativo e, sobretudo, com o objetivo de aumentar a eficiência da gestão.

Como a inteligência artificial está sendo aplicada na educação?

Utilizada tanto no desenvolvimento de projetos pedagógicos inovadores e arrojados quanto para um serviço administrativo e de atendimento mais eficiente, a inteligência artificial vem apresentando resultados positivos para as instituições de ensino, de maneira geral.

Nos Estados Unidos, por exemplo, especialistas afirmam que até 2021 deverá haver um crescimento de 47,5% no uso essa tecnologia, o que mudará sensivelmente o papel do professor no processo de ensino-aprendizagem, ainda que o profissional seja insubstituível (Forbes).

Apesar de ainda estar em fase de aprimoramento, observa-se que, com a inteligência artificial, é possível não apenas tornar o ensino mais dinâmico e favorecer o protagonismo do aluno em sala de aula, como também, deixar o aprendizado mais personalizado e diminuir as lacunas entre professores e estudantes.

Ao mesmo tempo em que fortalece metodologias ativas, como o ensino híbrido, a inteligência artificial consegue aprender quais são as melhores formas de favorecer o desempenho do aluno ao raciocinar a partir de suas interações com aplicativos de estudo e ambientes virtuais. Dessa forma, o sistema passa a oferecer ferramentas mais atraentes e que facilitem a retenção dos conteúdos, motivando o estudante.

Por outro lado, a interação dos estudantes com a tecnologia resulta em grandes dados para que o professor tenha condições de coordenar as melhores estratégias metodológicas. Os gestores da escola também podem utilizar esses dados para incrementar o projeto pedagógico.

Já do ponto de vista administrativo, a inteligência artificial otimiza processos, especialmente automatizando tarefas repetitivas, que, basicamente, tomam tempo e somam pilhas de documentos. Com isso, o atendimento aos pais, alunos e professores ganha eficiência, com respostas satisfatórias e procedimentos sujeitos a muito menos erros ou problemas de comunicação.

Como diminuir a evasão escolar com essa tecnologia?

Como dissemos na introdução, fatores diversos representam risco para a evasão escolar. São conjuntos de fatos sucedidos em torno dos alunos, pais e da própria instituição que se tornam indicadores de comportamento resultante em cancelamento de matrículas.

Por meio de sistemas associados à inteligência artificial e a um software de gestão acadêmica de qualidade, é possível mensurar esses indicadores e saber antecipadamente quais alunos têm maior propensão a deixar a escola e por quê.

A partir desse conhecimento, a instituição será capaz de estabelecer estratégias de relacionamento com alunos e pais, prevenindo a evasão e ampliando a fidelização desse público.

Como o software de gestão acadêmica otimiza processos, organiza, centraliza e registra informações de todo o cotidiano escolar, pode ser associado à inteligência artificial para gerar um grande volume de dados que mesclem informações administrativas e acadêmicas relacionadas a cada aluno. Com isso, os gestores têm condições de realizar diversas medidas benéficas.

  • antecipar ações de retenção;
  • encontrar padrões de comportamento e tendências;
  • separar os alunos em grupos de risco para a evasão;
  • controlar a inadimplência;
  • oferecer atendimento que gere mais satisfação;
  • elaborar estratégias para a captação de novos alunos, ao identificar perfis de público;
  • organizar recursos humanos e financeiros.

Dessa forma, a inteligência artificial permite que a interpretação dos indicadores de comportamento seja facilitada, a fim de corrigir os fatores de risco que podem resultar na evasão escolar.

A boa notícia é que a inteligência artificial pode ser aliada a softwares de gestão escolar existentes no mercado, a exemplo do Lyceum, que atende e gerencia mais de 2 milhões de alunos, desde a educação infantil ao ensino superior.

Além de fornecer uma série de dados que permite a análise preditiva e o controle da evasão escolar, a utilização desses softwares enriquece a interação entre alunos, pais e instituições de ensino, de maneira a fortalecer a fidelização do público.

Outra grande novidade de uso da inteligência artificial é o Lyceum Chatbot, uma solução capaz de tirar dúvidas simples, como qual o campus mais próximo do local onde o aluno mora, até funções mais complexas, como ajudar o aluno a escolher um curso dentro da instituição, verificar pendências financeiras e responder dúvidas sobre a rotina acadêmica.

E se você ainda está em dúvida sobre o melhor software de gestão acadêmica, conheça os benefícios do Lyceum. Entre em contato conosco e teremos o maior prazer em ajudá-lo!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.