inadimplência de alunos

Saiba como lidar com a inadimplência de alunos

Nas últimas décadas, a educação tem se expandido no Brasil. Esse fenômeno ocorre tanto no Ensino Básico (Fundamental e Médio) quanto no Superior. Paralelamente a essa expansão, entretanto, há outro índice que também avança: o da inadimplência de alunos.

A falta de pagamento das mensalidades (ou seu atraso) assola muitas instituições de ensino, especialmente em momentos de crise. Essa tendência representa um enorme impedimento para as instituições, que dependem desse compromisso financeiro entre instituições e seus alunos para continuar evoluindo.

Se você se pergunta constantemente como superar o obstáculo da inadimplência de alunos, a fim de garantir a continuidade e a melhoria de sua organização, está no lugar certo. Neste artigo, vamos apresentar algumas estratégias que poderão ajudá-lo a vencer esse desafio.

Confira!

Invista em um sistema de gestão acadêmica

Para evitar que a inadimplência ocorra ou se intensifique, é essencial que a instituição de ensino conte com um sistema de gestão automatizado, que mantenha controle sobre as operações financeiras e gere relatórios precisos a partir do histórico de cada estudante.

Tenha em mente que cada caso de inadimplência tem suas particularidades. Se você quiser combater o problema de forma eficaz, deve aprender a separar o joio do trigo. Como assim?

Com um sistema de gestão, você poderá identificar os atrasos pontuais de alunos que estão passando por uma fase turbulenta, por exemplo, e os sistemáticos, daqueles que simplesmente deixam de cumprir com suas obrigações contratuais mês após mês porque não enxergam sua importância.

Busque um entendimento

Para chegar a uma resolução satisfatória, você precisa compreender o contexto e as motivações por trás desses comportamentos. Não enxergue a falta ou o atraso nos pagamentos como uma causa e, sim, como a consequência de algum desequilíbrio mais abrangente.

A missão da sua instituição? Investigar e compreender esse desequilíbrio para, então, agir.

O inadimplente sistemático precisa ser reeducado, enquanto que o inadimplente pontual precisa de acompanhamento e apoio para vencer a turbulência e voltar a ter condições de arcar com as mensalidades.

Considere o cenário em longo prazo

Outro ponto a ser considerado é que o contrato entre uma instituição e um aluno costuma ser um vínculo em longo prazo. Afinal de contas, cursos superiores duram de três a cinco anos. Isso sem contar as possibilidades de pós-graduação.

Em outras palavras, se a instituição mostrar interesse em ajudar o aluno que está enfrentando dificuldades, seja oferecendo descontos ou financiando o saldo devedor em parcelas condizentes com seu orçamento, a tendência é que essa relação continue rendendo bons frutos e se renove. O vínculo deixa de ser meramente financeiro e passa a ser de responsabilidade mútua e parceria.

Por outro lado, quando a falta de pagamento é atacada como fonte ou causa do problema, o resultado é invariavelmente o mesmo: desgaste do vínculo instituição/aluno, gerando consequências negativas para ambos os lados.

Esteja disposto a dialogar

De qualquer forma, é importante conscientizar os alunos inadimplentes a respeito do impacto nocivo da falta ou do atraso dos pagamentos. Muitos não têm uma noção clara de como suas mensalidades se convertem em capital para investimentos e manutenção da estrutura física e pedagógica da instituição.

É fundamental estabelecer esse diálogo, deixando os estudantes cientes de que o próprio funcionamento da escola depende do pagamento em dia. Também é importante ouvir o que eles têm a dizer sobre o assunto, escutar suas explicações e levar em conta suas propostas.

Aposte no poder da comunicação

Manter canais físicos e virtuais de comunicação é uma ótima maneira de disseminar essa consciência entre o corpo estudantil. O ideal é ter uma estratégia de presença digital com canais para abordar esses assuntos e debater as alternativas, inicie debates e permita que eles expressem suas dúvidas e considerações.

A ideia é deixar bem claro que a instituição de ensino está disposta a ouvir e a dialogar!

Na própria instituição, deve haver um núcleo direcionado a registrar essas questões, um espaço onde o aluno se sinta confortável para expressar seus entraves e pedir ajuda.

Se ele sentir que tem voz e que a instituição está genuinamente interessada em seu desenvolvimento, mas que, para concretizar esse interesse, precisa receber a mensalidade em dia, jamais terá o impulso de procurar um concorrente ou atrasar novamente.

Automatize o sistema de cobranças

E quanto àqueles estudantes que simplesmente se esquecem de pagar em dia sua mensalidade? Para neutralizar esse gargalo, invista em um sistema de cobrança automatizado.

Trata-se de um mecanismo que facilita a emissão e o envio de boletos registrados atualizados, agilizando o pagamento. Essa iniciativa descomplica questões burocráticas, tanto do ponto de vista do aluno quanto da organização.

Muitos jovens optam hoje por efetuar operações financeiras por seus smartphones, já que a maioria dos bancos disponibiliza aplicativos que possibilitam leitura de códigos de barras, pagamentos, transferências e parcelamentos de dívidas.

Por que não aproveitar essa tendência e utilizar a tecnologia a seu favor? Você verá que é possível reduzir a inadimplência e mantê-la sob controle com essas simples mudanças.

Negocie dívidas

Um ponto fundamental na cobrança de mensalidades atrasadas é saber negociar.  Se o estudante deixou de pagar por um semestre inteiro porque está desempregado, por exemplo, não adianta ficar insistindo em receber todo o valor de uma vez só e, ainda por cima, corrigido com juros.

Simplesmente não vai acontecer. Para não sair no prejuízo, portanto, é preciso saber negociar.

O departamento financeiro deve estar capacitado a contatar os alunos inadimplentes de forma respeitosa, apresentando alternativas, projetando cenários viáveis e convidando-os a serem parte da solução.

Não alimente sentimentos ruins

Em um mundo ideal, não haveria inadimplência e nem necessidade de cobrar por um serviço prestado. Mas não vivemos em um mundo ideal, certo? As pessoas lidam o tempo todo com entraves financeiros como desemprego, baixa renda, inflação, crise econômica etc.

Nutrir sentimentos ruins em relação a um aluno inadimplente não vai levar a lugar algum. Pelo contrário, raiva, desprezo e impaciência podem atrapalhar as negociações e postergar ainda mais o recebimento do valor devido. A inadimplência é um fenômeno que resulta desses desafios cotidianos e que precisa ser compreendida para ser sanada.

Ficou com alguma dúvida em relação a esse assunto? Gostaria de fazer uma sugestão? Então, deixe um comentário e compartilhe conosco como você lida com essa situação.

 

Lyceum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo