pesquisa por voz no celular

Pesquisa por voz: a tecnologia que vai revolucionar a educação!

Atualizado em

A pesquisa por voz já é uma realidade no cotidiano de muitos brasileiros. Dados do Google indicam que, no país, entre 5% a 10% das consultas realizadas em seus motores de busca são feitas por voz.

Essa tecnologia atrai não somente por economizar o tempo do usuário com digitação, mas também por tornar a busca mais rápida, dinâmica e interativa. Usando inteligência artificial e um processamento de linguagem natural, os assistentes de voz estão cada vez mais inteligentes e acessíveis em diferentes dispositivos, como computadores, smartphones, televisores, caixas de som inteligentes etc.

A facilidade de acesso e interação tornam a ferramenta atraente não só para as atividades cotidianas como também para a educação, que pode se apropriar desses recursos para oferecer novos meios e métodos de aprendizagem. Quer saber como funciona a pesquisa por voz e os impactos dessa tecnologia na educação? Então, continue a leitura.

Como surgiram as ferramentas de busca por voz?

A pesquisa por voz é uma ferramenta digital habilitada por um comando ou pergunta do usuário, que interage diretamente com o dispositivo. Usando o reconhecimento de comandos sonoros, ela sintetiza a fala do indivíduo por meio do processamento de linguagem natural. Apesar de o assistente de voz ser algo relativamente recente, a tecnologia que permitiu seu desenvolvimento começa a ser concebida bem antes.

Em 1962, a IBM apresentava na Feira Mundial de Seattle o computador Shoebox, que era capaz de reconhecer 16 palavras faladas. Pouco tempo depois, em 1970, surge um sistema com capacidade similar. Desenvolvido pelo departamento de computação da Universidade Carnegie Mellon, na Pensilvânia, o Harpy era um sistema de reconhecimento de voz capaz de identificar mais de mil palavras.

Os estudos continuaram, mas o que marca efetivamente o desenvolvimento das ferramentas de reconhecimento de voz é o advento dos smartphones e os avanços da internet.

A Apple é a primeira empresa a desenvolver uma assistente de voz, a Siri, que surge em 2011. Pouco tempo depois, surgem novos aplicativos com funcionalidades parecidas, sendo o Google Now (2012), a Cortana, da Microsoft (2014), e o Alexa, da Amazon (2014), os concorrentes principais.

Quais as principais ferramentas de pesquisa por voz?

Os avanços de inteligência artificial têm possibilitado não só o desenvolvimento dos assistentes de voz como a expansão de suas capacidades, o que permite uma interação cada vez mais intuitiva e naturalizada das pessoas com a ferramenta.

Entre os usos mais frequentes dos assistentes pessoais, destacam-se:

  • esclarecimento de dúvidas via buscadores;
  • comandos de música;
  • controle de outros aplicativos;
  • envio de e-mails e mensagens;
  • informações sobre a previsão do tempo e trânsito;
  • organização da agenda;
  • criação de lembretes e alarmes;
  • consulta ao dicionário e tradução;
  • notícias;
  • jogos;
  • compras.

Conheça os quatro principais assistentes de busca por voz e suas funcionalidades, a seguir.

Google Assistente

Evolução do Google Now, o Google Assistente chegou ao Brasil em 2017. Presente, principalmente, em smartphones e tablets com sistema Android, também é compatível com iPhone e iPad (iOS). Com a proposta de facilitar a rotina dos usuários, o Google também investe na ideia de casas inteligentes, tornando seu assistente disponível em outros aparelhos eletrônicos.

No Brasil, o suporte do Google Assistente já está disponível em computadores, em alguns modelos de smart TVs, fones, aspirador-robô e nas caixas JBL. Esses aparelhos funcionam como uma espécie de Google Home, sendo capazes de atender a comandos de voz do usuário para controlar outros aparelhos da casa.

Siri

A Siri é uma assistente pessoal exclusiva da Apple e, por isso, só está disponível para os aparelhos compatíveis com o sistema iOS, ou seja, iPhone, iPad, iPod, Apple Watch e iMac. É capaz de executar diferentes funções por meio de comandos de voz, desde ligar ou enviar mensagens para um contato até oferecer informações específicas sobre a previsão do tempo, trânsito e localização.

A assistente também atende de forma rápida as buscas sobre temas e dúvidas do usuário (história, geografia, conhecimentos gerais etc.) e se integra a outros aplicativos baixados no iPhone.

Alexa

Concorrente da Siri e do Google Assistente, a Alexa é a assistente de voz da Amazon. Ainda não está disponível em português, apesar de a Amazon já ter iniciado testes no Brasil desde o início de 2019.

Compatível com o sistema Android e iOS, a Alexa também pode ser usada em mais de 60 mil objetos inteligentes, como lâmpadas, TVs e caixas de som. É ela que comanda o funcionamento do Echo Dot, um alto-falante inteligente que, conectado a outros dispositivos da casa, permite o controle do usuário a partir de comandos de voz.

Cortana

Já disponível em português, a Cortana é o assistente virtual inteligente da Microsoft. Disponível para smartphones e computadores, não é tão popular como os demais concorrentes.

Usada principalmente em computadores com Windows 10, a Cortana é uma aposta futura da Microsoft para que se torne uma assistente virtual personalizável pelas empresas, que serão capazes de desenvolver funcionalidades de acordo com suas demandas corporativas.

Como usar a pesquisa por voz na educação?

Se antes tínhamos uma cultura da escrita, hoje é a cultura das mídias (midiatização) que rege nosso modo de viver em sociedade e de nos relacionar com o outro. Estamos cada vez mais conectados a nossos smartphones, computadores e em contato constante com o mundo exterior pela internet e mídias sociais — Facebook, WhatsApp, Instagram etc.

A velocidade e instantaneidade do acesso às informações — basta um click ou um comando de voz — exigem que as instituições de ensino superior adaptem suas formas de ensino-aprendizagem, incorporando novas tecnologias e recursos audiovisuais para tornar o ensino mais dinâmico e atento a novas formas de aprendizado. Estas, por sua vez, estão cada vez mais marcadas pela capacidade do indivíduo de prestar atenção a diferentes estímulos ao mesmo tempo.

A pesquisa por fala pode ser uma importante aliada das IES, não só para o desenvolvimento de interfaces de comunicação personalizadas entre estudantes e a instituição, o que possibilita uma resposta mais rápida e eficaz ao aluno, como também para a elaboração de metodologias de ensino, ancoradas em professores e tutores virtuais.

Exemplo de Jill Watson, o professor assistente virtual

Um exemplo concreto de como os assistentes virtuais podem ser incorporados no ambiente educacional é o Instituto de Tecnologia da Geórgia, que desenvolveu Jill Watson, o primeiro professor assistente totalmente virtual.

Em um primeiro momento, nem mesmo os alunos, que interagiam com Jill nos fóruns, sabiam que ele não era uma pessoa real. Criado para solucionar as dúvidas dos alunos nas disciplinas, o professor virtual apresentou um índice de acerto de 97%, percentual elevado se comparado ao desempenho humano.

Outro ponto positivo é que o professor virtual continua se aprimorando com o uso e adquire novas capacidades, oferecendo, assim, um atendimento personalizado para cada aluno.

Neste texto, mostramos como a pesquisa por voz pode ser um elemento inovador na educação. Ao ser adotada pela IES, possibilita aos alunos não só novas oportunidades de aquisição de conhecimentos e resolução de dúvidas (sem a necessidade da escrita), como também um atendimento e acompanhamento mais rápido, personalizado e de acordo com suas demandas.

Agora você já sabe como a pesquisa por voz auxilia a educação. Que tal conhecer outras tecnologias capazes de alterar o cotidiano da sua instituição? Leia o próximo texto e conheça 6 motivos para adotar a tecnologia na gestão escolar.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.