mestrado e doutorado a distancia

Mestrado e doutorado a distância: entenda como vai funcionar

Uma das novidades de maior impacto para instituições de ensino do Brasil tem sido a regulamentação de mestrados e doutorados a distância. Você já conhece as particularidades da nova medida?

Neste texto, vamos explorar as mudanças a partir da portaria 275 e quais são as obrigatoriedades e oportunidades para as IES que ampliarem a oferta de cursos de pós-graduação stricto sensu.

Continue a leitura e veja quais serão as transformações causadas nesse novo momento da educação superior brasileira e como sua instituição de ensino pode se adaptar a elas.

O que foi regulamentado?

Em 18 de dezembro de 2018, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) instituiu uma permissão para que instituições de ensino apresentassem propostas de mestrados e doutorados a distância.

Pouco tempo depois, por meio da portaria nº 90, de 24 abril de 2019, regulamentou a oferta de pós-graduação stricto sensu a distância.

Essa flexibilização é extremamente positiva, tanto para alunos quanto para as IES. A oferta poderá ser de mestrados e doutorados acadêmicos ou profissionais, assim como nos casos presenciais.

A instituição precisará ser credenciada junto ao Ministério da Educação (MEC) e, além disso, passar por uma avaliação de três etapas da CAPES, tendo, ao final, sua proposta rejeitada ou aprovada.

Quais são as oportunidades para IES?

Antes da nova regulamentação, instituições de ensino superior só podiam oferecer pós-graduação lato sensu — como especializações e MBA — na modalidade a distância. Agora, existem novas possibilidades, que trazem diversos benefícios para as IES. Veja alguns deles a seguir.

Captação de alunos

Com a obrigatoriedade da oferta de cursos presencial, as instituições de ensino ficavam mais limitadas à captação de alunos.

Buscar alunos de regiões mais distantes à sede da instituição não trazia boas perspectivas, já que, para os estudantes, os custos de deslocamentos ou mudanças acabariam sendo impeditivos para a realização do curso.

Por mais que as novas medidas exijam algumas atividades presenciais, elas são pontuais e permitem aos alunos maior flexibilidade de tempo e presença no polo estudantil. Por isso, torna-se interessante para as IES aumentar a área de captação de alunos com o ensino a distância.

Leia mais: 12 Dicas para Captação de Alunos em Instituições de Ensino Superior

Crescimento da instituição

As novas portarias motivam instituições de ensino a crescer com a oferta de cursos stricto sensu. Essa modalidade educacional confere maior legitimidade, além de permitir que alunos que terminam a graduação permaneçam no aperfeiçoamento acadêmico na mesma instituição.

A variedade de áreas de atuação ofertadas nos cursos também pode aumentar, permitindo que a instituição dê conta de atender estudantes e profissionais de mais áreas de conhecimento.

O espaço físico limitado era um impeditivo para que muitas instituições submetessem projetos de mestrado e doutorado ao MEC. Isso muda com o ensino a distância, flexibilizando para que alunos e professores utilizem espaços digitais para comunicação.

Colaboração no desenvolvimento educacional

Essa é também uma excelente oportunidade para que instituições de ensino se tornem ainda mais relevantes no desenvolvimento educacional de suas regiões.

Assim como já é feito em outros países, a autorização de cursos a distância permite mais acesso de alunos de diferentes áreas a modalidades de aperfeiçoamento, como o mestrado e doutorado.

Essa mudança contribui não apenas para a especialização no mercado de trabalho como para o fomento da pesquisa científica no país, já que os cursos podem ter viés profissional ou acadêmico.

E-book Guia para Redução da Inadimplência

Leia mais: Como planejar cursos EAD: gravar aulas presenciais não é o suficiente

Oferta de dupla titulação

A portaria nº 90 da Capes também dá a possibilidade de programas de pós-graduação em formas associativas, inclusive com instituições estrangeiras, beneficiando o processo de internacionalização e permitindo a dupla titulação, o que garante maior inserção dos mestres e doutores no mercado internacional. As tecnologias de informação e de comunicação viabilizam o intercâmbio de docentes e discentes com um número menor de deslocamentos físicos e favorecem a formação de redes de pesquisa e inovações nos processos formativos.

Como será o funcionamento dessas modalidades?

Para ampliar o entendimento em relação à oferta de mestrados e doutorados a distância, vamos explorar algumas particularidades das medidas da CAPES para a regulamentação dessas modalidades de ensino.

Oferecimento de aulas

As aulas dos mestrados e doutorados a distância têm uma dinâmica diferente das presenciais. Os conteúdos são gravados anteriormente em vídeo e disponibilizados em ambientes digitais de aprendizagem.

De forma complementar, as aulas também contam com leituras de livros e artigos, assim como nos cursos presenciais.

As orientações de dissertação ou tese também serão feitas a distância, o que já costuma acontecer em cursos presenciais, já que, no mestrado ou doutorado, o aluno costuma ser mais autônomo em seus estudos.

Oferecimento de atividades presenciais

Algumas atividades dos cursos serão obrigatoriamente presenciais, segundo as recomendações da CAPES. Entre elas, estão:

  • estágios obrigatórios;
  • seminários;
  • práticas profissionais;
  • atividades de laboratório;
  • apresentação de qualificação;
  • apresentação da dissertação ou tese.

Utilização de ferramentas tecnológicas

Para o sucesso de um curso de mestrado ou doutorado a distância, é fundamental a integração com as ferramentas tecnológicas. Elas serão as facilitadoras do processo de aprendizagem. Felizmente, as instituições de ensino já podem contar com diversas tecnologias digitais para esse processo.

Nos cursos de pós-graduação stricto sensu, as ferramentas permitem que os professores criem e disponibilizem os conteúdos, que os alunos acessem e estudem e ainda que haja interação e compartilhamento na comunidade acadêmica.

Entre as tecnologias usadas nesses processos estão:

  • plataforma digital de aprendizagem;
  • chat para interação entre aluno e professor, entre alunos e secretaria ou entre alunos;
  • fóruns de discussão, que podem, inclusive, integrar o processo das aulas;
  • e-mail, como meio de comunicação adicional.

Leia mais: Tecnologias Fundamentais para Instituições de Ensino

Criação de infraestrutura

Apesar da modalidade a distância, as normas da CAPES exigem uma infraestrutura física básica para que a oferta dos cursos de mestrado e doutorado seja possível.

O aluno precisa encontrar, por exemplo, instalações como biblioteca, laboratórios, sala com acesso a equipamentos de informática atualizados, com bases de dados a fontes de informação.

Também é necessário contar com espaço, mobiliário e equipamento para as atividades administrativas dos cursos.

Avaliação da CAPES

Para se manterem ativos, os cursos de mestrado e doutorado a distância vão ser submetidos a avaliações periódicas da CAPES, em que as notas podem variar de 1 a 5, sendo 5 a nota máxima.

Para que a instituição ofereça o curso de doutorado, é preciso que o curso de mestrado seja submetido anteriormente à avaliação da CAPES e atinja, no mínimo, nota 4.

A possibilidade de oferta de cursos de mestrado e doutorado a distância integra um novo momento na educação brasileira. É preciso que instituições de ensino estejam devidamente preparadas para ingressarem de forma correta no novo sistema.

Que tal compartilhar este conteúdo em suas redes sociais e levar esse conhecimento a mais pessoas?

mapa de metodologias ativas

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.