inteligência de dados

O que é inteligência de dados e como usá-la na gestão educacional

Atualizado em

Quando falamos de inteligência de dados, é comum a associação imediata com grandes empresas de tecnologia. Entretanto, esse conceito precisa começar a fazer parte também da rotina educacional.

Já falamos aqui em nosso blog como tecnologia e educação precisam andar juntas para que a Transformação Digital impacte positivamente o ensino. Mas, neste texto, vamos mostrar o que é a inteligência de dados e como a gestão educacional também pode ser uma grande beneficiada nesse processo.

Continue a leitura e entenda como a gestão de uma instituição de ensino pode ser ainda mais eficiente.

O que é inteligência de dados e quais são os seus benefícios?

A sociedade atual vive conectada à web. Nela, colocamos informações pessoais, interagimos e tomamos decisões. A cada atividade realizada nessa rede, produzem-se dados.

A esse processo é atribuído o conceito de Big Data, tão falado ultimamente por seu potencial de consolidar uma grande massa de dados para gerar análises mais precisas sobre padrões, consumo e ideias.

Enquanto a Big Data é a tecnologia que reúne a incontável quantidade de dados produzida a cada segundo na rede, a inteligência de dados é a responsável por sistematizar essas informações. Ela é o processo de organizar informações, sejam estruturadas ou não, e integrá-las a sistemas de softwares para que sejam melhor analisadas e interpretadas.

Podemos citar como principal benefício do manuseio de dados o poder de tomada de decisão. Afinal, são informações reunidas e organizadas que fornecem uma visão holística sobre uma situação específica.

Como essa tecnologia se integra à gestão educacional?

Se, antes, o olhar para esse tipo de tecnologia era restrito a outros setores, hoje ele tem se estendido ao mercado educacional, trazendo inúmeras possibilidades para a gestão que deseja profissionalizar a instituição de ensino e conseguir resultados melhores.

Imagine a quantidade de dados que são produzidos na rotina de uma IES. São informações como:

  • dados pessoais dos alunos;
  • histórico dos professores;
  • conteúdos lecionados;
  • frequência nas aulas;
  • índices de desempenho e de aprovação;
  • pagamentos de mensalidades;
  • inadimplência.

Todas essas informações são coletadas, porém, é muito difícil dar conta de organizá-las manualmente para conseguir extrair padrões.

No entanto, com a digitalização e a submissão delas a um sistema de inteligência de dados, isso é feito de forma automática. Essa automatização gera relatórios que auxiliam na tomada de decisões gerenciais ou pedagógicas, otimizando os processos na gestão educacional.

Quais mudanças a gestão deve implementar?

Para tornar a inteligência de dados uma realidade na gestão da instituição de ensino, é preciso aplicá-la por meio de algumas ferramentas e da adoção de algumas mudanças pontuais. Separamos as principais ações a seguir.

Sistema de gestão

Para começar, é fundamental contar com um sistema de gestão educacional. Assim como uma empresa precisa de um sistema que dê conta de centralizar e administrar os processos, uma instituição de ensino precisa de um sistema para gerenciar sua atividade fim.

Um sistema inteligente de gestão, como o Lyceum Inteligência Educacional, vai ser um dos grandes diferenciais na otimização de todas as atividades que precisam ser realizadas na rotina educacional. Entre elas, podemos citar:

  • cadastro de ofertas de cursos;
  • quadro de horários e professores;
  • registro de matrículas e rematrículas;
  • movimentações acadêmicas;
  • gestão do acervo acadêmico;
  • criação e organização de planos de aula;
  • controle de atividades;
  • gestão de recebíveis;
  • gestão de bolsas;
  • gestão de permanência;
  • controle de estágios;
  • controle de notas e frequência;
  • controle de aprovações;

O sistema dará ao gestor uma visão ampla sobre todos os processos que acontecem simultaneamente na instituição.

Comunicação eficaz

O uso de inteligência de dados também deve ser aplicado à comunicação interna da instituição de ensino, para que ela seja mais eficaz e alinhada.

É preciso que tanto a gestão quanto colaboradores e docentes tenham um discurso alinhado, que represente verdadeiramente a estratégia e o posicionamento da IES. Do contrário, a imagem da instituição pode ficar comprometida frente à sociedade.

O alinhamento interno produzirá redução de custos, um ambiente transparente de comunicação e a maximização das oportunidades, o que contribuirá no processo de captação e aumento de alunos nas IES.

Política de indicadores

Os indicadores de desempenho são grandes aliados da gestão por mostrar de fato se o caminho que está sendo seguido é de crescimento. Os dados são usados para a geração de métricas, que devem abordar as principais perspectivas do negócio.

A ferramenta de qualidade Balanced Scorecard (BSC) gera indicadores relacionados aos seguintes aspectos: cliente, financeiro, processo e recursos, garantindo uma estratégia alinhada de gestão educacional.

Profissionalização

Profissionalizar a gestão da instituição de ensino é um dos principais caminhos para o sucesso e, como já falamos, o uso de inteligência de dados é uma das possibilidades mais interessantes para isso.

O uso de dados valiosos e autênticos garante que o gestor não trabalhe apenas apagando incêndios pontuais, mas tenha uma visão de maior alcance com um planejamento estratégico de longo prazo.

Infraestrutura correta

Profissionalizar a gestão da instituição de ensino é um dos principais caminhos para o sucesso e, como já falamos, o uso de inteligência de dados é uma das possibilidades mais interessantes para isso.

O uso de dados valiosos e autênticos garante que o gestor não trabalhe apenas apagando incêndios pontuais, mas tenha uma visão de maior alcance com um planejamento estratégico de longo prazo.

Experiência educacional

Criar valor na experiência educacional abrange mudanças na relação entre todos os integrantes desse ciclo: professores, alunos, famílias, comunidade e gestão.

Como exemplo, podemos citar os sistemas de atendimento aos alunos das IES, a forma como a captação de novos alunos é realizada, as comunicações entre professores, alunos, secretaria e gestores e os serviços que a instituição promove à comunidade.

Em todos esses aspectos é possível inserir a inteligência de dados para simplificar e otimizar as relações entre esses grupos, de forma que sejam mais fluidas e proveitosas.

A inteligência de dados torna os processos de uma gestão educacional muito mais fluidos e otimizados. O gestor ganha maior flexibilidade e certeza na hora de tomar decisões, e a instituição pode experimentar melhores resultados em suas iniciativas.

A Techne quer ser parceira da instituição de ensino que deseja se profissionalizar e se integrar à Transformação Digital. Entre em contato com nossa equipe e conheça de perto ferramentas inovadoras para a gestão educacional.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.