Bring Your Own Device (BYOD) nas instituições de ensino: entenda o que é essa prática

Atualizado em

A tecnologia está presente no contexto de muitas profissões e atividades diferentes — e não seria sábio deixar de aproveitar seus benefícios nos processos educacionais. É por isso que o BYOD na educação vem ganhando espaço e trazendo melhorias de aprendizagem e engajamento.

Os smartphones, tablets e laptops se tornaram elementos importantes na vida do ser humano, portanto, é inteligente aproveitar esse costume e efetivar o uso exploratório dessas ferramentas na educação, usufruindo de todo o potencial que os recursos tecnológicos podem oferecer.

Neste artigo, vamos entender o que é BYOD, como ele pode usado na educação e as vantagens que traz. Acompanhe a leitura!

O que é BYOD?

BYOD, sigla para o termo Bring Your Own Device — que, em português, pode ser traduzido como traga seu próprio dispositivo —, é um conceito que surgiu no mundo corporativo, mas que também está sendo utilizado na educação.

O objetivo é que os funcionários tragam os dispositivos com os quais estão acostumados para o trabalho, tornando esse momento mais confortável. Esse conceito está ganhando cada vez mais adeptos na educação, pois torna o aprendizado uma experiência interativa e próxima dos estudantes.

Como o BYOD pode ser usado na educação?

Existem algumas maneiras de usar esse conceito na educação, que trazem benefícios para o processo de aprendizagem. A estratégia pode ser aplicada tanto para com os professores quanto os alunos. Vamos conhecer algumas maneiras!

Professores

A proposta já pode ser lançada com os próprios docentes da instituição. Os professores podem usar seus próprios smartphones ou outros dispositivos para lançar notas e faltas, por exemplo, o que dá mais acessibilidade para o sistema e permite que esse trabalho seja feito de qualquer local, aumentando a produtividade.

Alunos

Os alunos podem usar os próprios dispositivos, como tablets e smartphones, para realizar pesquisas em sala de aula ou para responder questionários disponibilizados pelos professores na internet.

Leia também: Desafios do Ensino Híbrido

Quais são os benefícios dessa prática?

Para entendermos melhor como o BYOD pode ajudar no processo educacional, vamos conhecer alguns benefícios que ele traz. Confira os principais!

Aumenta a participação dos estudantes nas aulas

Os estudantes gostam de usar seus dispositivos pessoais, então, ao integrá-los às aulas, você garante que estarão muito mais envolvidos. Além disso, podem encontrar informações e fazer pesquisas que complementem o conteúdo passado pelo professor, trazendo mais fixação e melhorando o processo de aprendizagem.

Estimula a colaboração e a comunicação dos alunos

Com os dispositivos inseridos no cotidiano educacional, os alunos terão mais oportunidades de interagir virtualmente com os professores e colegas, tanto dentro quanto fora da sala de aula. Isso pode ser realizado com o uso de aplicativos complementares, como o Office 365, pois a comunicação e o compartilhamento de conteúdos ficam mais fáceis de ser gerenciados e rastreados. Além disso, é bastante comum um grupo de estudos se manifestar em forma de grupo de aplicativos de mensagens, como o WhatsApp.

Possibilita a instrução personalizada

Os professores conseguem usar diversos tipos de multimídias interativas com base nos diferentes estilos de aprendizagem, enquanto os estudantes podem utilizar os seus dispositivos para acessar os conteúdos. Além disso, o processo pode ser continuado fora da sala de aula, com cada aluno seguindo seu próprio ritmo, já que os conteúdos estão disponíveis a qualquer hora e em qualquer lugar.

Leia também: Relação entre professor e aluno: 7 dicas para melhorar o convívio

Oferece a educação fora da sala de aula

O BYOD oferece a oportunidade para que a aprendizagem aconteça em outros espaços, não limitados a um espaço físico. Pode ser uma aula em um lugar histórico ou em outros ambientes da instituição, por exemplo. Com os recursos tecnológicos, é possível explorar ferramentas visuais, como imagem e vídeos, além da possibilidade de fazer uma viagem virtual relacionada ao conteúdo que está sendo abordado.

É importante entender que o uso da tecnologia deve acontecer não apenas como ciência, mas como um auxílio para a aprendizagem, tendo em mente que os alunos se apropriam de recursos que estão em suas mãos para realizar as atividades planejadas.

Quais cuidados devem ser tomados?

Uma das grandes intenções do BYOD é aumentar o engajamento dos alunos, mas, para isso, é preciso tomar alguns cuidados. Muitos professores temem que os estudantes se dispersem e acessem conteúdos que não estão relacionados com a aula, o que atrapalharia a aprendizagem.

Pode ser que isso realmente aconteça, mas, com a implementação de ferramentas de segurança e controle e a disponibilização de sistemas educacionais, esse problema diminui bastante. Por meio desses programas, é possível envolver os alunos e disponibilizar quais serão as próximas tarefas a ser realizadas, tendo um controle maior sobre a utilização dos aparelhos.

Por que essa prática é uma tendência?

O BYOD começou como uma tendência nas corporações e nos ambientes de trabalho. Aos poucos, escolas de países do Reino Unido e dos Estados Unidos começaram a adotar essa estratégia, que, posteriormente, espalhou-se para outras localidades.

O crescimento desse conceito no Brasil se deve também pela possibilidade da utilização da tecnologia na rotina de estudos, sem que a instituição precise fazer investimentos grandes na compra, manutenção e atualização dos dispositivos tecnológicos.

É muito difícil que uma instituição de ensino superior invista recursos para comprar um dispositivo para cada aluno. A utilização de laboratórios de informática é uma das soluções, porém, este costuma ser compartilhado entre várias turmas, além de a manutenção dos computadores ser cara.

Ainda que o computador pudesse ser a solução, o consumo dos jovens atuais é muito mais centrado no celular do que em computadores, portanto, eles são mais familiarizados com esse mundo e demonstram interesse por atividades que estejam contextualizadas e tenham sido planejadas para seus dispositivos móveis.

Desse modo, a utilização de equipamentos próprios é a melhor solução, porque, além de promover a economia para a instituição, eles ainda são usados com mais interesse pelos estudantes, beneficiando os dois lados do processo educacional.

Neste artigo, vimos como o BYOD na educação pode ser um fator importante para melhorar a qualidade do ensino. A utilização dos dispositivos tecnológicos próprios durante as aulas proporciona um engajamento diferenciado, já que os alunos se sentem parte do processo de aprendizagem. Assim, investir nessa estratégia é uma alternativa interessante para as instituições de ensino.

Gostou de conhecer mais sobre este tema? Então, compartilhe o texto nas redes sociais e contribua para que mais pessoas saibam o que é o BYOD na educação!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Parceiros