novo ensino médio 2022

Novo Ensino Médio 2022: confira as principais mudanças

webinar_PIX
Lyceum - Acervo Acadêmico Digital

O Novo Ensino Médio 2022 reformula a grade curricular de todas as escolas do país, públicas e privadas. A proposta da reforma é promover um ensino alinhado às necessidades dos estudantes, fugir de uma grade curricular generalista e conversar com a realidade de cada sala de aula.

A partir de 2022, algumas novidades começarão a ser ofertas pelas escolas. Para educadores, alunos e familiares, é normal que dúvidas acabem surgindo nesse período de transição entre o antigo e o novo currículo escolar.

Separamos, neste post, respostas para as questões mais comuns sobre o Novo Ensino Médio em 2022. Confira e entenda o que vai mudar!

O que é o Novo Ensino Médio?

O Novo Ensino Médio é um modelo curricular que permite que os jovens optem por uma formação técnica ou profissional nos três últimos anos da Educação Básica. Junto ao diploma de conclusão do Ensino Médio regular, o aluno poderá receber, ao final, um diploma de curso técnico ou profissionalizante para entrar no mercado de trabalho.

O novo modelo para o Ensino Médio é fruto da Medida Provisória (MP) 746/2016, que foi convertida na Lei 3.415 em 2017, alterando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e estabelecendo alterações na estrutura do Ensino Médio.

Quais são as principais mudanças?

Agora, confira o que mudou na estrutura do Ensino Médio.

Disciplinas divididas em áreas do conhecimento

As disciplinas do Ensino Médio não serão abordadas individualmente, como acontece no modelo antigo. Elas estão organizadas em quatro áreas do conhecimento no novo modelo, assim como no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem):

  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas;
  • Linguagens e suas Tecnologias;
  • Matemática e suas Tecnologias.

A nova organização não exclui nenhuma disciplina do Ensino Médio. O que muda é a frequência de cada uma na grade curricular, dependendo dos itinerários formativos que os estudantes escolherem.

Isso significa que as disciplinas tradicionais continuarão no currículo escolar do Ensino Médio: Língua Portuguesa, Matemática, Biologia, Física, Química, Artes, Educação Física, Língua Inglesa, Filosofia, Geografia, História e Sociologia.

Apenas duas disciplinas serão obrigatórias nos três anos do Ensino Médio: Matemática e Língua Portuguesa.

Oferta dos itinerários formativos

Os itinerários formativos são a principal novidade do Novo Ensino Médio. Além de estudar as quatro áreas do conhecimento no ano letivo, o aluno pode optar por fazer um itinerário formativo de acordo com a sua vontade e seu projeto de vida.

O itinerário formativo é uma unidade curricular que possibilita ao aluno aprofundar seus conhecimentos em uma área do conhecimento, uma formação técnica ou profissional.

Cada escola pode decidir quais e quantos itinerários formativos ofertar. Uma instituição de ensino pode decidir que vai ofertar apenas 3 itinerários formativos aos seus alunos, enquanto outra da mesma região pode ofertar 10, por exemplo.

O aluno poderá escolher um itinerário formativo desde o 1° ano do Ensino Médio, com a possibilidade de mudar, caso deseje e a escola ofereça outras possibilidades.

A implementação dos itinerários formativos começará a partir de 2022, mas será um elemento obrigatório na grade curricular apenas em 2023, em todas as escolas do país, públicas e privadas.

Aumento da carga horária

A carga horária do Ensino Médio passará de 800 para 1.000 horas anuais, mas serão pelo menos 3.000 horas para os três últimos anos da Educação Básica. O ano letivo deve durar 200 dias.

Para cumprir a carga horária total, os estudantes do Ensino Médio terão que dedicar mais horas ao ensino escolar. A partir de 2022, as 4 horas passam para o mínimo 5 horas diárias.

Estima-se que as áreas do conhecimento devam ocupar 60% do tempo previsto para a grade do Ensino Médio. Na soma dos três anos, esse tempo não pode ultrapassar o limite de 1.800 horas. Para os itinerários formativos, a carga horária deve ocupar os 40% restante do tempo, totalizando o limite de 1.200 horas.

Projeto de vida

A Lei 3.415, que deu origem ao Novo Ensino Médio, destaca, no Art. 3°, a necessidade de as escolas adotarem o projeto de vida nos três últimos anos da Educação Básica. Esse é um componente interdisciplinar que serve para ajudar os jovens a entenderem seus interesses pessoais, sociais e profissionais.

O projeto de vida não é bem uma novidade do Novo Ensino Médio. Esse componente curricular já está previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para ser delineado com os estudantes desde o Ensino Fundamental, além de ser um dos elementos que orientam as 10 competências gerais para a Educação Básica.

A novidade está no caráter obrigatório do projeto de vida no Ensino Médio. O novo modelo curricular foca em tornar o ensino mais personalizado e atrativo, e o projeto de vida surge como um componente para orientar os alunos na escolha dos itinerários formativos e, de maneira geral, nos objetivos para a vida após o Ensino Médio.

O que muda para os professores no Novo Ensino Médio?

Haverá, basicamente, duas mudanças para os professores do Ensino Médio. A primeira diz respeito à contratação desses profissionais. Na formação profissional e técnica, será permitida a atuação de professores com notório saber na área específica para ministrar os conteúdos do itinerário formativo.

A segunda mudança diz respeito ao planejamento das aulas, pois a interdisciplinaridade da aprendizagem ganha ainda mais força com o Novo Ensino Médio. Os professores poderão planejar conteúdos que unem duas ou mais áreas do conhecimento para aulas de uma mesma disciplina.

Como a escola pode se preparar?

Com o Novo Ensino Médio, alguns desafios ganham relevância para professores e profissionais da educação envolvidos na aplicação do currículo. A preparação do corpo docente, a renovação de materiais didáticos e a consulta ao Conselho Estadual de Educação (CEE) para a aprovação do novo currículo são exemplos disso.

As instituições de ensino devem estar preparadas, com uma infraestrutura tecnológica para que o novo modelo curricular tenha sucesso. Um sistema de gestão escolar torna a comunicação com as famílias mais ágil, além de integrar e automatizar atividades administrativas.

As mudanças do Novo Ensino Médio estão acontecendo de forma gradual desde 2018, e estão previstas para atingir todas as turmas do país até 2024. Como vimos, muitas novidades começarão a ser implementadas a partir de 2022.

Gostou do conteúdo? Agora, entenda mais sobre como a sua escola pode acelerar a implementação do Novo Ensino Médio.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Parceiros