O que é uma gestão sustentável na escola

Gestão sustentável na escola: como implantar valores e práticas?

A sustentabilidade é um tema discutido há algum tempo em todo o mundo. O conceito de ser sustentável abrange as esferas ambiental, social e econômica, com o objetivo geral de fazer com que gerações futuras tenham benefícios nessas áreas sem prejudicarem sua saúde e o meio ambiente.

Se o que antigamente era um assunto que parecia um exagero de ambientalistas, nas últimas décadas tornou-se até uma exigência de muitos governos e instituições. Com o avanço em pesquisas, a comprovação e mensuração da realidade da mudança climática, o comportamento das pessoas também sofreu mudanças e suas demandas por viver em um mundo mais sustentável também.

Atender ao pedido da comunidade em que se insere, incluindo de seus alunos, em que o comportamento sustentável, muitas vezes, o acompanha desde a infância, é uma boa estratégia a ser trabalhada em gestão da instituição de ensino.

Por isso, a gestão sustentável na escola é pautada por valores e práticas que se tornam denominadores comuns na sociedade. Para saber como implantá-las, continue a leitura deste post!

O que é uma gestão sustentável na escola

A educação é a base para aprender como ser uma pessoa socialmente consciente. A prática de um conjunto de ações torna-se um hábito diário e é a partir da manutenção e melhoramento constante dessas práticas, que nos aproximamos de um cenário isento dos problemas sociais.

Para levantar essas estratégias e colocá-las em ação, é necessário um trabalho de gestão de pessoas e ambiente que, nesse caso, chamamos de gestão sustentável.

A gestão sustentável consiste em fazer a pesquisa e apuração dos gastos de manutenção da instituição de ensino e seus impactos ambientais. Então, reunir a equipe financeira e administrativa é o primeiro passo para ter essas informações e possibilidades claras, para fazer a conversão do que pode ser mudado no ambiente de ensino.

Qual a relação da gestão com os professores

O professor é o profissional da instituição que mais tem contato próximo com a comunidade acadêmica. Para o gestor, ele é um grande responsável para colocar em prática os acordos da instituição no cotidiano das aulas.

A gestão de professores deve acontecer de modo a não apenas relatar as novas ações a serem adotadas, mas também os integrando para que busquem novas ideias de implementação.

Os professores também podem usar a ecologia como base para o estudo de novos conteúdos sobre o tema, instigando a pesquisa dos alunos pelo ciclo ambiental e, até mesmo, agendando visitas técnicas em organizações que adotam políticas sustentáveis.

Qual é o papel dos alunos

Aprendendo essa nova política na escola, o aluno a leva para sua casa e vida social, disseminando os ensinamentos com toda a comunidade. O meio acadêmico realiza o efeito dominó sustentável: o que tem início no ambiente interno da escola, surte efeito no comportamento de consumo fora dela.

Essas ações também servem de estímulo à criatividade dos estudantes, que podem se interessar por irem além das práticas simples de consciência ambiental. No caso de Instituição de Ensino Superior, é possível investir na área de pesquisa sobre a sustentabilidade, que une a ciência por trás da busca de novas ideias.

Como começar uma gestão sustentável na escola

Além de reuniões de debates e o levantamento de informações, algumas práticas cotidianas podem ser inseridas, a fim de construir uma sólida gestão sustentável na escola.

Evite o desperdício

Espalhar plaquinhas pela escola com indicações para fechar bem as torneiras, apagar luzes, desligar ar-condicionado, computadores e usar folhas de rascunho para impressões, são boas formas de conscientizar os envolvidos e mitigar o impacto ambiental.

Outra prática eficaz é evitar o uso de copos descartáveis. Por isso, incentive a comunidade acadêmica a usar garrafas de água e xícaras próprias. Instalar filtros de água nos bebedouros para purificar a água encanada é um investimento em qualidade e também uma economia quando comparado ao uso de galões.

Faça o descarte adequado

Uma escola tem muitos tipos de materiais que são descartados e, para que a reciclagem correta de cada um seja possível, é preciso que o descarte seja feito corretamente, evitando a contaminação de materiais e sua impossibilidade de recuperação.

Para isso, um caminho é instalar um conjunto de lixeiras coloridas com nome do material e símbolo de cada um deles. Mas também é preciso, antes dessa instalação, certificar-se que a comunidade acadêmica faça uso correto dessas lixeiras.

Por exemplo, os zeladores precisam ficar atentos para fechar a sacola de cada material e não misturá-los na retirada.

Engaje a comunidade

Mais do que saber o que o aluno aprende na escola, participar mais ativamente da vida educacional aproxima pais e filhos, e também toda a comunidade acadêmica. É desenvolver ações para toda a comunidade, inserindo as pessoas que são ausentes da realidade e do cotidiano escolar.

Uma opção é criar campanhas que envolvam a cidade, como incentivar os alunos a coletar roupas, materiais escolares, brinquedos, remédios e alimentos para serem doados a pessoas carentes, e também ensinar como deve ser feito o descarte de cada material, inclusive pilhas, baterias e demais resíduos eletrônicos podem mover um grande número de pessoas.

A escola pode fazer parcerias com Organizações Não Governamentais (ONGs) que façam a coleta de resíduos sólidos e direcione-os para a reciclagem, ou ONGs que possam colaborar na doação dos itens coletados durante a campanha para famílias carentes.

Cultivar uma horta

O contato efetivo com o meio ambiente, não apenas por meio de boas práticas de reciclagem, mas também por proximidade com a natureza, é fundamental para o processo de aprendizagem sustentável.

Cultivar uma horta no espaço da escola, fazendo os alunos participarem ativamente do processo de preparo do solo, plantio, cuidado e colheita consciente, dá mais responsabilidade, além de ensinar a importância de uma alimentação saudável.

Com a colheita, os alunos podem levar seus alimentos para casa, compartilhar o conhecimento e desfrutar de um produto orgânico. Como a colheita precisa ser de forma consciente e o replantio necessário, o aluno aprende também a ser menos ansioso e pode até fazer sua própria horta em casa.

Incluir uma gestão sustentável de escola é mais do que apresentar uma boa imagem diante da comunidade acadêmica, da sociedade e do sistema educacional, é incluir, em seu histórico, valores que fazem diferença para a vida dos estudantes e para as inovações em modelos de ensino.

Com os resultados desse novo ambiente escolar, a instituição pode até captar mais investimentos para novas tecnologias, reter mais alunos, evitar evasão e, consequentemente, identificar os reflexos financeiros dessas ações.

Gostou de saber como aplicar uma gestão sustentável na escola? Assine nossa newsletter e receba mais dicas para melhorar sua instituição!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo