aprendizagem ativa

Como um sistema de gestão acadêmica contribui para potencializar a aprendizagem ativa?

Você já deve estar familiarizado com as metodologias ativas de aprendizagem, aquelas que propõem elevar o aluno ao papel de protagonista, certo? Falamos muito delas aqui no blog, afinal de contas, sabemos que elas são o presente e o futuro da educação no Brasil e no mundo, uma vez que aliam tecnologia e engajamento estudantil.

Vamos iniciar este artigo, portanto, respondendo à seguinte questão: como um ambiente virtual de aprendizagem integrado a um sistema de gestão acadêmica potencializa esse tipo de aprendizagem?

A partir dessa reflexão inicial, partiremos para as seguintes indagações:

  • Qual é o esforço que uma instituição de ensino precisa fazer para se adaptar a essa nova realidade?
  • O que o emprego do software de gestão educacional pode nos ensinar na prática?

Temos muito chão para cobrir e pouco tempo a perder, então, busque uma xícara de café e faça uma leitura reflexiva e engajada!

De que maneira um AVA integrado a um sistema de gestão acadêmica dá suporte à aprendizagem ativa?

O modelo de aprendizagem ativa é essencialmente colaborativo, calcado na troca de informações, compartilhamento constante de conteúdo e construção conjunta de conhecimento. Como você já deve ter percebido, essa abordagem educacional substitui a transferência mecânica e unilateral de informações (professor-aluno) por um sistema orgânico, interativo e multifocal.

Nas metodologias ativas, os alunos compartilham interesses, se engajam em tarefas e demandas específicas, trocam feedbacks e opiniões, preparam materiais, participam de fóruns, formam grupos, se avaliam mutuamente e debatem questões pertinentes às disciplinas que estão cursando.

Esse sistema demanda o engajamento de professores, monitores, coordenadores e estudantes em um ambiente preparado. O AVA, ou Ambiente Virtual de Aprendizagem, é a ferramenta que possibilita esse engajamento e centraliza essas múltiplas interações.

Para diretores e gestores de instituições de ensino, não é novidade que o AVA desempenha papel fundamental no dia a dia institucional. Quando integrado a um sistema de gestão acadêmica, ele permite o registro e a quantificação de todas as interações entre a equipe pedagógica e o corpo discente.

Os dados registrados no AVA, como matrículas, avaliações, participações etc., formam um fluxo de informações automatizado e sempre atualizado. Esse fluxo é um valioso instrumento para gestores e professores, que passam a monitorar com maior precisão questões financeiras e estratégicas da instituição; e para os próprios estudantes, que acompanham sua performance em tempo real.

O AVA, portanto, é a ferramenta que potencializa a aprendizagem ativa, pois absorve as trocas e a comunicação da comunidade acadêmica. Além do mais, ao mesmo tempo que o ambiente é alimentado pelo sistema de gestão com as informações do aluno a partir da matrícula, também abastece esse sistema com os dados quantitativos que já citamos aqui.

Quais diferenciais um sistema deve ter em relação à aplicação dessa metodologia?

O diferencial é um sistema de gestão acadêmica integrado ao AVA, capaz de maximizar o potencial desse ambiente e transformar seus dados brutos em indicadores do desempenho acadêmico e institucional.

O Lyceum, por exemplo, se integra completamente ao ambiente virtual de aprendizagem, automatizando funções outrora manuais e agilizando todo esse processo. Quando um aluno realiza sua matrícula em determinada disciplina, o sistema automaticamente libera sua participação nos fóruns e conteúdos relativos a ela.

Em resumo: ele utiliza o AVA, gerando e consumindo informações de forma automática. Além disso, é versátil, uma vez que disponibiliza diferentes modalidades de avaliações e classificações.

Com o Lyceum, é possível realizar as avaliações a partir de um conjunto de avaliações distintas, como avaliações entre pares (colegas de turma), entre grupos e entre professores e alunos. Como o modelo de aprendizagem ativa requer múltiplas avaliações e trocas de feedback, o sistema permite que os alunos façam isso da própria sala de aula, por meio de seus smartphones, tablets ou notebook.

Quais adequações devem ser introduzidas em uma instituição de ensino?

Tornar-se uma instituição verdadeiramente engajada com a aprendizagem ativa é uma iniciativa que demanda esforço tanto por parte do alunado, quanto por parte dos colaboradores da instituição. Os resultados desse movimento, contudo, serão positivos para ambas as partes.

De um lado, o aprendizado mais concreto, significativo e real; de outro, facilidade no monitoramento da aprendizagem, da saúde financeira da instituição, resolução de entraves de forma automatizada e possibilidade de foco, por parte dos gestores, em estratégias de captação, manutenção e divulgação dos diferenciais e resultados.

Diferentemente do que você pode pensar, esse esforço não é somente de infraestrutura, mas, sobretudo, de consciência, pois a própria lógica de ensino-aprendizagem é invertida.

Qualquer uma das — cada vez mais numerosas — estratégias pedagógicas que aproveitam as metodologias ativas vai demandar uma modificação na relação entre aluno, professor e conhecimento. Justamente porque a dinâmica do aprendizado nesse contexto é mais parecida com uma parceria, é necessário que a instituição disponha de ferramentas adequadas para possibilitar essa relação colaborativa.

A transformação, portanto, é holística. À medida que o ambiente virtual de aprendizagem e o sistema de gestão se alinham para otimizar sua experiência, o aluno caminha em direção ao centro de sua formação!

Exemplo prático: como o Albert Einstein mostra essa versatilidade com o Lyceum?

O Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein foi uma das instituições que adotou o Lyceum por conta de seu potencial inovador. Juntas, ambas as equipes desenvolveram recursos de aprendizagem e avaliação específicos para os estudantes de Medicina, Biomedicina, Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia.

Por meio de aplicativos integrados com tecnologias como realidade virtual e realidade aumentada, os alunos podem se engajar em práticas para a construção do conhecimento na área da saúde, como a realização de intervenções cirúrgicas por meio de óculos de realidade virtual. O desenvolvimento das próprias competências técnicas necessárias a esses profissionais depende de seu engajamento com a prática médica e colaboração interdisciplinar.

Além disso, com o Lyceum, a equipe pedagógica pode ter acesso instantâneo a informações estratégicas que levam ao contínuo aprimoramento dos cursos disponibilizados e da formação dos alunos.

Como você pôde perceber, o sistema de gestão acadêmica dá o suporte necessário ao ambiente virtual de aprendizagem, possibilitando a aplicação das metodologias ativas, que, por sua vez, demandam integração de informações e participação colaborativa dos participantes.

Entendeu o papel do AVA e do sistema de gestão acadêmica no suporte às metodologias ativas de aprendizagem? Então não deixe de se inscrever para assistir à gravação do webinar “Indicadores de Desempenho apoiando a evolução das Instituições de Ensino”.

Indicadores de Desempenho

Post criado 90

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo