peer instruction

O que é Peer Instruction e quais seus benefícios para a aprendizagem?

Um dos grandes desafios para as instituições de ensino é encontrar formas de engajar os alunos a estudarem e aumentarem seu desempenho. Por esse motivo, os líderes acadêmicos se desdobram para encontrar alternativas ao ensino tradicional que transformem a sala de aula em um ambiente interessante e motivador. Entre elas, destaca-se a Peer Instruction, a metodologia ativa de aprendizagem sobre a qual dissertaremos neste artigo.

Com a informação na ponta dos dedos e nas telas dos computadores, aulas expositivas, densas e pouco atraentes já não fazem mais sentido. Tanto que Instituições de Ensino Superior (IES) estão se movimentando nesse sentido para captar mais alunos e evitar o aumento das taxas de evasão.

Por isso, modificar a dinâmica da sala de aula e investir em propostas inovadoras no ensino é crucial para que sua IES amplie sua competitividade no mercado educacional.

Vamos, então, entender o que é Peer Instruction e como essa estratégia de interação entre alunos e os conteúdos pode aumentar significativamente a aprendizagem? Acompanhe!

O que é Peer Instruction?

Peer instruction é uma metodologia desenvolvida pelo professor de Física da Universidade de Harvard (Estados Unidos), Eric Mazur. Traduzindo literalmente como “Instrução entre os Pares”, surgiu na década de 1990, após alguns anos de observações feitas pelo professor na própria sala de aula e baseando-se em dados estatísticos sobre o rendimento dos alunos nos cursos introdutórios de Física norte-americanos.

Mazur notou que, assim como ele, a maioria dos professores reproduzia um padrão de ensino baseado em palestras ― ou seja, o professor tem o papel de um instrutor; ele fala e os alunos escutam para tentar absorver o máximo de informação e reproduzir esses conhecimentos nos exames.

Embora procurasse se utilizar das formas mais diferentes (e até divertidas) de entreter seus alunos, Mazur notou que suas aulas expositivas já não surtiam efeito. Até que um dia, diante de um grupo de alunos completamente confusos e incapazes de explicar qualquer ideia ou conceito sobre um assunto específico, teve um insight: “discutam entre vocês!”.

Eis a essência da Peer Instruction: alterar a dinâmica da sala de aula para que os alunos auxiliem uns aos outros no entendimento dos conceitos e, em seguida, sejam conduzidos pelo professor no aperfeiçoamento desse aprendizado por meio de questões dirigidas.

Para tanto, os alunos passam por uma fase preparatória em que realizam leituras pré-aula. Já apropriados desse material quando encontram o professor, respondem a questões de múltipla escolha. Com base nos “votos”, o professor direciona os pontos que precisam ser mais bem enfatizados para o aprendizado dos estudantes.

A experiência positiva, em termos de engajamento e frequência dos alunos, chamou a atenção de escolas e universidades do mundo todo, que passaram a utilizar a Peer Instruction como alternativa metodológica, mas ainda é pouco explorada no Brasil. Vamos ver a seguir um passo a passo de como funciona?

Peer Instruction: exemplo
Peer Instruction: fluxo de aplicação da metodologia na prática

Como a Peer Instruction funciona no ensino?

O ponto central da Peer Instruction é a interação entre os alunos. Como é criado um ambiente colaborativo, em que eles discutem conceitos e elaboram interpretações acerca de um assunto, tornam-se agentes no processo de ensino-aprendizagem. A aplicação da Peer Instruction, conforme esboçado pelo professor Eric Mazur, funciona da seguinte forma:

  • o professor disponibiliza um conteúdo para que os alunos leiam antes da aula (como tarefa de casa, por exemplo);
  • quando a aula começa, os alunos respondem a questões dirigidas sobre esse conteúdo previamente oferecido. Para isso, podem utilizar cartões de respostas, clickers, aplicativos de múltipla escolha, formulários Google, espaço interativo no portal acadêmico ou simplesmente levantar a mão;
  • considerando o feedback dos alunos às perguntas iniciais, a aula transcorre e o professor explica os conceitos e problemas do conteúdo proposto;
  • na sequência, novas questões são propostas pelo professor, dentro de um teste conceitual (concept tests), a fim de que os alunos reflitam e respondam sobre um assunto relacionado ao mesmo conteúdo. Ao analisarem essas perguntas, os alunos podem refletir sobre o que leram e reelaborar sua interpretação;
  • os alunos respondem individualmente a todas as perguntas. Então, o professor avalia a quantidade de erros e acertos do teste e mostra o resultado para a turma, sem, no entanto, revelar as respostas corretas de cada questão;
  • caso a taxa de acertos seja alta (mais de 70%), faz-se uma breve conclusão sobre o conteúdo estudado;
  • se o nível de acertos for baixo (30%) ou médio (30%-70%), o professor explica novamente o conteúdo e os alunos são incentivados a discutir com seus colegas (daí o termo Peer Instruction). Nesse momento, comentam o significado e importância das questões e cada um argumenta sobre o motivo de terem escolhido suas respostas. Com isso, todos os alunos são engajados na construção do conhecimento;
  • após a discussão, novamente as questões são respondidas. Agora, espera-se que a quantidade de acertos aumente;
  • uma vez alcançados os objetivos da aula, o professor apresenta as respostas corretas do teste e faz uma avaliação geral de cada pergunta com a turma.

Quais os principais benefícios dessa metodologia para a aprendizagem?

Como dissemos, a Peer Instruction é capaz de proporcionar excelentes resultados para o ensino. Veja algumas vantagens da adoção dessa metodologia a seguir.

Desperta o engajamento do aluno

À medida que as questões vão sendo respondidas e o nível de acerto aumenta, os alunos tendem a ficar mais curiosos a respeito do assunto proposto. Como a evolução do processo de ensino-aprendizagem depende de sua interação e participação nas atividades, o nível de engajamento aumenta quando eles percebem uma evolução gradativa do seu conhecimento.

Estimula que o aluno assuma uma postura proativa

De acordo com a pirâmide de aprendizagem, a partir do momento em que o aluno interage com os conhecimentos por meio de atividades práticas, a taxa de retenção dos conteúdos pode chegar até 90%. Nesse sentido,  a Peer Instruction possibilita que o aluno firme-se como agente na produção do próprio conhecimento e deixe a passividade que assume em uma aula expositiva, na qual o professor é o único que participa ativamente da disciplina.

Confirma a tendência das metodologias ativas de aprendizagem

A Peer Instruction reforça os resultados obtidos com as metodologias ativas de aprendizagem, sendo uma estratégia relativamente tranquila de ser implantada em uma IES, visto que também funciona de maneira analógica. Além disso, corrobora as tendências educacionais do Ensino Superior e as demandas profissionais no século XXI, cujas exigências incluem aprendizado rápido, consistente e eficaz para o mercado de trabalho.

Agrega o uso de tecnologia

Outro benefício da Peer Instruction é a possibilidade de agregar inovação tecnológica ao cotidiano da sala de aula, como meio de favorecer o processo de ensino e aprendizagem. Com isso, sua IES não apenas encontra-se com a realidade da atual geração de alunos universitários ― tão bem informada e familiarizada com os recursos digitais ―, como também abarca diferenciais competitivos.

Se você deseja que sua IES desenvolva um ensino cada vez mais moderno e capaz de gerar real valor para os alunos, aumentando o seu desempenho em sala de aula e, por consequência, em seu futuro profissional, toda a academia precisa se apropriar das metodologias ativas de aprendizagem, como é o caso da Peer Instruction.

Na sua opinião, como a Peer Instruction poderia contribuir para o ensino, de acordo com a realidade da sua IES? Deixe um comentário aqui embaixo!

mapa de metodologias ativas

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.