Covid-19 na educação

Covid-19: Tecnologia facilita educação a distância

Atualizado em

Para frear o avanço do novo coronavírus (Covid-19), as instituições de ensino têm suspendido as aulas presenciais e adotado modelos de educação a distância (EAD).

Diante disso, surge a necessidade de decidirem as ferramentas que serão disponibilizadas para os alunos, as disciplinas lecionadas, a realização ou não de avaliações, entre uma série de outras questões.

Entenda, neste artigo, como a pandemia pelo novo coronavírus impacta a educação e como utilizar a tecnologia a favor do ensino!

Pandemia do Covid-19 : Estratégias para manter o ensino

Em meio ao cenário pandêmico, medidas como evitar a aglomeração de pessoas vêm sendo adotadas por diversas instituições de ensino básico, técnico e superior, a fim de restringir a disseminação do vírus.

Desta forma, a modalidade de trabalho home office, em que o funcionário desenvolve em casa as mesmas atividades que realizava presencialmente, foi ampliada.

Mas, e a educação?

Sem uma previsão de término para as medidas de quarentena, os alunos não podem ficar sem aulas.

Por isso, as instituições de ensino organizaram uma estratégia de educação a distância para manter as atividades letivas, durante a crise do Covid-19. Deste modo, estão adotando ferramentas como plataformas de ensino a distância e mídias sociais para seguirem com as aulas.

Neste momento, a utilização da tecnologia se faz extremamente necessária, como forte aliada à prestação dos serviços educacionais. É importante lembrar que a adoção da modalidade EAD não interfere na diplomação do aluno.

As plataformas de educação a distância permitem a manutenção dos serviços educacionais. Ou seja, o aluno continua realizando seus estudos e adquirindo conhecimentos, sem prejuízo. Neste período inicial de 30 dias, em que o método começa a ser implantado, a carga horária será contabilizada.

Porém, não são todos os alunos que têm acesso à internet. No caso dos que não têm, os gestores estudam a possibilidade de remeter materiais físicos para a residência destes estudantes.

De modo geral, as Instituições de Ensino Superior (IES) estão aderindo a ambientes virtuais para seguirem o calendário das aulas de forma remota.

Até o momento, 20 Estados e o Distrito Federal já suspenderam as atividades escolares total ou parcialmente.

guia da gestão educacional

De acordo com o diretor-presidente da Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), Celso Niskier, a tendência é que as IES particulares adotem a prática. Porém, caso haja a opção de suspender as aulas, os conteúdos serão repostos sem prejuízo aos estudantes.

O MEC autorizou, a partir de hoje (18/03), a substituição de aulas presenciais das instituições federais de ensino superior por aulas no formato de ensino à distância.

A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) e é válida por 30 dias ou enquanto durar a situação de pandemia pelo novo coronavírus (Covid-19).

Covid-19: Ministério da Educação cria Comitê de Emergência

Na última segunda-feira, 16 de março, aconteceu a primeira reunião do Comitê Operativo de Emergência (COE), criado pelo Ministério da Educação.

Nesta reunião, foi apresentada uma plataforma de monitoramento do coronavírus nas instituições de ensino.

O objetivo é acompanhar, em tempo real, as redes federal, estadual, municipal e do Distrito Federal, para saber onde e como o governo – em conjunto com os outros entes federativos, entidades representativas e as próprias instituições – deve agir.

O Comitê tem a finalidade de debater e definir medidas de combate à disseminação do Covid-19 em instituições de ensino, de acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde.

Compõem o COE:

  • Secretarias do MEC;
  • Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE);
  • Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh);
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep);
  • Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed);
  • União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime);
  • Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica (Conif);
  • Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

O trabalho do comitê é integrado entre o Ministério da Educação (MEC) e as demais entidades. As decisões tomadas têm a finalidade de orientar ações de Estados, municípios e instituições de ensino, observada a autonomia dos envolvidos. 

Covid-19 na educação

Covid-19 na educação: Como utilizar a tecnologia a favor do ensino?

Diante do exposto até aqui, é relevante ressaltarmos a utilização das tecnologias a favor da disseminação do conhecimento. Confira, a seguir, algumas ferramentas que facilitam a educação a distância:

  • Plataformas de Ensino a Distância (EAD);
  • Utilização de redes sociais como Facebook e Youtube, para realização de transmissões em vídeo;
  • Ferramentas de vídeo-chamadas como Skype, Hangouts, Zoom, entre outras;
  • Utilização de dispositivos como computadores, celulares e tablets;
  • Possibilidade de transmissão de aulas por meio de canais de televisão aberta.

Estes são alguns recursos que podem ser utilizados durante a pandemia pelo Covid-19.

Leia também: YouTube e educação: Saiba mais sobre os canais educativos da internet

Gostou deste artigo? Aproveite para conhecer o Lyceum, sistema de gestão educacional que atende desde a educação básica até a superior! Acesse www.lyceum.com.br e saiba mais!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Parceiros