Fies continua fechado para novos contratos apesar de decisão judicial

Fies continua fechado para novos contratos apesar de decisão judicial

Atualizado em

Decisão do juiz prorrogou prazo por tempo indeterminado. MEC diz que não foi notificado e vai recorrer da decisão

Apesar de a Justiça Federal de Mato Grosso ter determinado que o prazo de inscrição do Programa de Financiamento Estudantil (Fies) do Governo Federal fosse prorrogado por tempo indeterminado para novos contratos, o sistema continua fechado no site do programa. O Ministério da Educação diz que não recebeu ainda a notificação judicial e que vai recorrer da decisão à Advocacia-Geral da União (AGU). No site aparece o frase “o prazo para inscrição no Fies encerrou dia 30.4.2015.”. Para quem já tem contrato, a renovação pode ser feita até 29 de maio.
O MEC argumenta que já alcançou a meta estipulada de 250 mil novos contratos financiados e que por conta de limitações no orçamento não tem como aceitar todos os pedidos. O ministério espera para as próximas edições mudar a metodologia do Fies. O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou ao G1 que a partir do segundo semestre o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) “deixa de ser disputa pela ordem, quem chega primeiro leva, quem chega no fim não consegue”.

Janine Ribeiro disse que o novo modelo do programa será semelhante a outros, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que usam critérios de avaliação acadêmica, de localização e condições socioeconômicas para selecionar estudantes.

As mantenedoras das faculdades particulares dizem que se preparam para receber quase 500 mil novos contratos no Fies, e que com os limites colocados pelo governo cerca de 250 mil alunos ficarão sem o auxílio.

O ministro vai dar uma entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (5) para falar sobre o balanço final do Fies.

Decisão na Justiça

A decisão de prorrogar o prazo, válida para todo o país, é do juiz Rafael de Almeida Carvalho, que atendeu a um pedido de liminar da Defensoria Pública da União em Mato Grosso.

A Defensoria havia entrado com uma ação civil pública para que os problemas no sistema fossem solucionados ou que o prazo da inscrição fosse prorrogado para novos contratos até o dia 29 de maio. O órgão alegou que os estudantes tiveram os direitos violados, já que não conseguiam ingressar no programa. O Ministério da Educação havia prorrogado as inscrições apenas para os casos de aditamento e não para novas contratações.

O juiz deferiu o pedido em parte e determinou a prorrogação do prazo de inscrição para novos contratos pelo Fies em todo o território nacional por tempo indeterminado. Ainda, a Justiça ordenou que o sistema do programa seja corrigido para que as novas contratações sejam feitas, ou que o governo disponibilize um outro meio para o ingresso no Fies.

Na avaliação do magistrado, os alunos que não conseguiram se inscrever podem ter prejuízos para conseguir entrar em um curso superior e até eventuais constrangimentos nas instituições de ensino.

Por fim, o juiz Rafael de Almeida Carvalho determinou multa diária de R$ 20 mil reais por descumprimento, caso o governo não prorrogue o prazo de inscrição. “O prazo para os novos contratos foi prorrogado até uma nova decisão judicial. A União e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação devem garantir que essas novas contratações possam ser realizadas porque o direito dos alunos à educação não pode ser sanado por falhas no sistema do Fies”, explicou Luciana Tieme Koga, defensora da União

 

Fonte: GazetaWeb.com

Site oficial:  http://gazetaweb.globo.com/mobile/noticia.php?c=393949&e=9

Post criado 164

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo