desistência de cursos

6 razões que levam os alunos a desistência de cursos superiores

Ingressar em uma IES é uma grande conquista. Por outro lado, com isso, também vem o medo de conseguir se manter na instituição até o fim do curso. Diversos fatores colaboram para a desistência de cursos superiores. Esse alto índice de evasão no Brasil preocupa a todos, pois interfere diretamente na nossa sociedade e no processo educacional.

É um engano pensar que o aluno decide sair de um curso superior apenas porque não se identifica com aquilo que está aprendendo no momento. Muitos ingressam na IES de forma não muito planejada por eles mesmos, e encontram barreiras sem aconselhamentos de profissionais da própria instituição. Ou seja, pode ser uma decisão precipitada para o estudante, levando a um arrependimento futuro.

Veja, então, no texto de hoje, os seis principais motivos pelos quais se dá a desistência de cursos superiores. Boa leitura!

1. Gastos financeiros

Para a maioria, manter-se em uma IES significa a necessidade de trabalhar e ver todo o dinheiro, ou grande parte dele, ser usado para cobrir as despesas. Não apenas a mensalidade está incluída, mas também transporte, material para estudo, gastos com alimentação, roupas, questões pessoais e domésticas etc.

Por mais que um estudante poupe seu dinheiro, constantemente pode se ver em dívidas ou com o cansaço de não sobrar dinheiro para lazer, algo a que os jovens costumam dar muita importância (e que é benéfico para a saúde mental).

Mostrar ao estudante as possibilidades de parcelamento de mensalidade, bolsas de ensino e de pesquisas, empréstimos e negociações de dívidas com a instituição facilita a solução do problema financeiro.

2. Jornada de trabalho e estudos

Devido à sobrecarga de afazeres, especialmente em épocas de provas e trabalhos acadêmicos, alunos podem interpretar o fato de trabalhar e estudar como um trabalho em tempo integral.

As poucas horas de sono, a alta carga de informações todos os dias e o cansaço físico e mental que essa conciliação gera são empecilhos. Assim, aumentam as chances de evasão, algo bastante prejudicial para ao aluno, à instituição e também a toda a sociedade.

Quando o estudante é apresentado a um sistema de organização de suas tarefas e prazos, diminui a possibilidade do cansaço mental o abater a ponto de se perder e prejudicar a vida acadêmica.

3. Falta de identificação

Dependendo do curso, o aluno passa mais de quatro anos em uma instituição. Com o ingresso no mercado de trabalho da área, além de suas vocações pessoais e uma natural mudança de perspectiva sobre o mundo, possivelmente a grade educacional não corresponde mais às escolhas dele.

Essa é uma situação muito delicada para o aluno, que se vê desanimado com o curso escolhido, apesar de saber os benefícios daquela graduação e ter condição financeira para continuar até o fim.

As conversas e orientações são capazes de fazer o aluno permanecer. Entretanto, quando ele realmente não muda de ideia, é possível ainda direcionar suas vocações para buscar outro curso da mesma instituição. Essa é uma vantagem para ambos os lados, já que o aluno e a IES já se conhecem e continuarão em união para a formação acadêmica cidadã.

4. Fatores situacionais

As outras diferentes razões pela qual estudantes justificam interromper seus estudos de nível superior são ligadas a moradia (gastos domésticos), estado de saúde físico ou emocional e também ao ambiente físico e social, que pode ser uma barreira para a frequência na IES.

Uma IES que procura quebrar as barreiras de acesso e auxiliar seus alunos a permanecer no curso cumpre um papel educacional e social de extrema relevância nacional.

Os serviços de assistência ao aluno devem existir em toda IES, para converter esse quadro social e formar mais profissionais. O aluno pode receber, em qualquer período do curso, e-mails e lembretes na plataforma de que há um serviço de assistência em que ele pode buscar uma orientação para sair de seus problemas atuais.

5. Deficiência do ensino médio

A concorrência entre estudantes é algo comum tanto para a sala de aula quanto para o mercado de trabalho. O ingresso em IES ficou mais fácil com diversas ações do governo ao longo dos anos. Porém, o ensino anterior, em nível médio, nem sempre entrega um aluno minimamente preparado.

Infelizmente, do ensino médio no Brasil ainda saem jovens sem grandes capacidades de resolver questões básicas como problemas de matemática, interpretação e escrita textual.

O aluno pode notar essa diferença e se sentir muito despreparado para continuar na IES. Como fazê-lo mudar de ideia? É possível a aplicação de tecnologia para direcioná-lo a ter reforço online, sem precisar da presença física dele.

6. Pressão social ou familiar

Alunos que têm um alto poder financeiro por herança de família muitas vezes optam pela desistência de cursos, já que têm uma garantia de fonte de renda. Por outro lado, costumam procurar especializações técnicas, que são mais rápidas. Nesses casos, é comum acompanhar e mostrar a eles as consequências de uma má gestão por falta de conhecimentos do responsável.

A pressão para seguir áreas específicas comuns, assim como outros membros da família (antigamente consideradas prestigiadas como Direito, Medicina, Engenharia), pode resultar na desmotivação pela falta de identificação com a área.

As últimas gerações de Millennials e Centennials (gerações Y e Z, respectivamente) cresceram com mais liberdade de escolhas, modelos diferentes de empreendedorismo e questionamentos quanto à necessidade de um diploma de nível superior e ao modelo de ensino.

Utilizar gestão para engajar ou direcionar à assistência estudantil os alunos que parecem desinteressados é uma forma do gestor universitário evitar a desistência de cursos da parte do aluno. É importante lembrar o estudante que é natural que ele encontre os problemas que mencionamos acima e que o estudo superior também funciona como crescimento pessoal e profissional.

Reter o aluno é uma vantagem para ambos os lados. Além de evitar um gasto sem retorno, o estudante não ganha experiência, mercado profissional e crescimento que procura. Busque ferramentas efetivas e flexíveis para a gestão de uma IES. O sistema Lyceum é utilizado e aprovado por diversas instituições de ensino superior, facilitando estudos do aluno e também a gestão universitária.

Agora que já sabe mais sobre desistência de cursos superiores, entre em contato conosco para ficar por dentro das vantagens que oferecemos!

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo